Pesquisar neste blogue

quinta-feira, janeiro 15, 2009

amigos dos nossos inimigos

- "a criação de Israel é um acto de ocupação. Uma leitura atenta dos textos dos sionistas fundadores do Estado de Israel revela tudo aquilo que o Ocidente hipocritamente ainda hoje finge desconhecer: a criação de Israel é um acto de ocupação e como tal terá de enfrentar para sempre a resistência dos ocupados; não haverá nunca paz, qualquer apaziguamento será sempre aparente, uma armadilha a ser desarmada"
Boaventura Sousa Santos, na "Carta Maior"

- "Desde 2006 Israel vem aumentando constantemente seu nível de criminalidade: ampliando assentamentos, iniciando uma atroz guerra contra o Líbano e impondo um castigo coletivo a Gaza por meio de um bloqueio brutal (...) Chegou o momento. Há muito que chegou. A melhor estratégia para pôr fim à cada vez mais sangrenta ocupação dos territórios palestinos é converter Israel em objeto do tipo de movimento mundial que ajudou a pôr fim ao regime do apartheid na África do Sul"
Naomi Klein, na "Carta Maior"

Os tanques israelitas entram na cidade de Gaza e disparam indiscriminadamente sobre áreas residenciais. Feitas as contas ao genocídio a percentagem de mulheres e crianças mortas e feridas é de 42 por cento do total de vítimas (1070 mortos, 4.900 feridos) Milhares de pessoas estão a abandonar as suas casas e fogem sem rumo. Não existe perspectiva alguma do minimo bem estar para o seu futuro. Trata-se de uma 2ª expulsão, ao mesmo estilo diabólico da Nabka de 1947. Se o povo de Gaza é amigo do partido islâmico então é inimigo de Israel

* Tudo está na mira da barbárie sionista: hospitais, edificios de jornais e jornalistas (especialmente estes, para que não se saiba) e até nem as próprias instalações da ONU escaparam. Note-se que era em conjunto com a ONU que o Hamas concertava as suas actividades na gestão civil do território. (fonte)

Sem comentários: