Pesquisar neste blogue

segunda-feira, julho 13, 2009

O Império de Bases Militares dos Estados Unidos

Honduras, Irão, Paquistão, Afeganistão e o efeito boomerang. James Petras: "Os recentes acontecimentos nas Honduras e no Irão, que enfrentam regimes eleitos democraticamente com actores civis e militares pró estado-unidenses decididos a derrubá-los, pode-se entender melhor como parte de uma estratégia mais ampla da Casa Branca cujos actuais ocupantes forma designados para fazer retroceder oa fracassos dos movimentos de oposição durante os anos Bush" (ler mais)

"Sendo, com o custo de US$102 mil milhões por ano, o mais caro empreendimento militar do mundo – ficou subitamente muito mais caro. Para começar, a 27 de Maio descobrimos que o Departamento de Estado construirá uma nova "embaixada" em Islamabad, Paquistão, que com o custo de US$736 milhões será a segunda mais cara de sempre, por apenas menos 4 milhões de dólares (se não houver derrapagem) que a erigida em Bagdad, com o mesmo tamanho da cidade do Vaticano. Também consta que o Departamento de Estado comprará o hotel de cinco estrelas Pearl Continental (com piscina incluída) em Peshawar, perto da fronteira com o Afeganistão, para ser utilizado como consulado e quartel-general do Estado-Maior americano.
Infelizmente para estes planos, a 9 de Junho militantes paquistaneses mandaram um camião cheio de explosivos contra o hotel, matando 18 ocupantes e ferindo 55, fazendo ainda colapsar uma ala inteira da estrutura. Não houve mais notícia sobre a possível compra por parte do Departamento de Estado".
(Chalmers Johnson, via Resistir)
.

Sem comentários: