Pesquisar neste blogue

domingo, fevereiro 10, 2013

Enric Duran‏ Giralt, activista do Decrescimento

Face ao que se passa em Espanha, (na Ibéria) onde a corrupção entre politicos e capitalistas é endémica, onde a justiça ao não actuar pronta e efectivamente toma partido pelo status quo dominante, dando tempo que baste aos corruptos e corruptores para destruirem as provas dos seus crimes, há um jovem que, emancipando-se das retóricas dos debates estéreis, se levantou e tomou uma atitude de combate prático, em contra-corrente aos eternos candidatos a lugares nas estruturas do Capitalismo

vá lá pá! levanta-te e diz qualquer coisa
 

Como é que os bancos criam dinheiro, sugam e gastam tanto dinheiro? 



Enric Duran tornou público que em 2008 tinha pedido diversos empréstimos a 39 entidades bancárias, tendo deste modo conseguido obter 492.000 €uros os quais nunca pagou nem pensa pagar, porque o dinheiro foi canalizado para diversos movimentos e iniciativas sociais que promovem projectos que resultem em mudanças no sentido de uma sociedade mais justa. As suas intenções são ratificadas pelos factos. A partir de então tem vindo a ficar demonstrado que os Bancos nos roubam a todos, condenando à miséria milhões de pessoas, que a especulação e a avareza pelos juros do capital dominam a sociedade, que o consumismo guia as vidas da maioria, tudo isto graças á actuação danosa de Banqueiros que actuam exclusivamente em defesa dos seus interesses privados.

os Bancos criam dinheiro a partir do nada (como Dívida sobre futuros, escravizando o desenvolvimento) para criarem a ilusão de que há um crescimento... que de facto não existe, para além da ilusão difundida pela retórica oficial. E sem crescimento vemos o que se passa, a perda generalizada de direitos, o assalto à exploração dos recursos naturais que está a ser levado a actuações militares absurdas, os Estados cada vez mais controlados pelas multinacionais que organizam essas acções em função dos interesses económicos de exploração dos povos.

Em Janeiro de 2013 o jovem Enric Duran Giralt foi informado da data em que decorrerá o julgamento que irá ter lugar a 12 de Fevereiro, sintomaticamente dia de Carnaval. Os Bancos (o Estado) pedem 8 anos de cadeia para o atrevimento. O curto prazo dado para que possa ser organizada uma defesa judicial eficaz segundo os princípios do capitalismo converte o evento numa amostra de “legalidade” mais que duvidosa. Seriam os banqueiros quem deveria estar no banco dos réus e os actos de banditismo do capitalismo objecto de julgamento, porque existem alternativas: podemos e devemos viver sem capitalismo 



O local não será cem por cento aconselhável - um "Congresso da Ciência e Espírito" - mas enfim, é o palco que temos. Quem quiser ouvir os argumentos de Enric Duran Giralt por inteiro pode fazê-lo aqui 
.

2 comentários:

Anónimo disse...

enrique durán giral.....

xatoo disse...

o nome não é espanhol, é catalão