Pesquisar neste blogue

sábado, novembro 30, 2013

Policia de choque chamada a impedir o direito à Greve dos trabalhadores dos CTT

O lider nacional da Confederação Geral dos Trabalhadores Portugueses (CGTP) explica em directo as razões que levam o Ministro da tutela e os seus amestrados bófias a tomar o partido dos patrões e ajudar a distribuir mais lucros pelos accionistas privados



Os Correios de Portugal foram criados em 1520 por Don Manuel I como serviço público. Em 1821 iniciaram a entrega de correspondência porta-a-porta. Um ano após a implantação da República os CTT ganharam autonomia como empresa pública de prestação do serviço, com o nome de "Administração-Geral dos Correios, Telégrafos e Telefones". Em 1992 face ao boom das telecomunicações estes serviços foram retirados à empresa, adoptando esta a partir de então o nome que ainda tem hoje: "CTT Correios de Portugal". Se este governo de delinquentes económicos conseguir privatizá-la, como é que a empresa vai passar a ser chamada? "Correios de Quem??" Correios da Puta que vos Pariu? (ver dados históricos, em lingua de accionista)

Corre, Corre Cavalinho, que te querem Privatizar: "Petição pela manutenção dos CTT no Estado" (Precários Inflexiveis) 

sexta-feira, novembro 29, 2013

Garcia Pereira defende que subconcessão dos estaleiros de Viana de Castelo à Martifer deve ser investigada

O especialista em Direito do Trabalho Garcia Pereira considera que os tribunais podem impedir o despedimento colectivo nos Estaleiros Navais de Viana do Castelo, porque o processo de concessão é tão obscuro que deve ser analisado pela Procuradoria-Geral da República (PGR).
Em declarações à Antena1, o advogado afirma que “utilizou-se um mecanismo de subconcessão de terrenos para fintar a lei, que estabelece que, em caso de transmissão de empresa ou parte de empresa, o novo dono fica colocado na mesma situação da primitiva entidade empregadora”. “Portanto, os contratos de trabalho permanecem com todos os seus direitos e deveres inerentes”, explica. - “O concurso está feito de forma que toda a gente vê antes dele chegar ao fim que é para ser atribuído a uma determinada entidade. Naturalmente que esta é uma questão que deve ser entregue imediatamente à Procuradoria-Geral da República para ser investigado”, defende Garcia Pereira. (fonte)
Comunicado aos trabalhadores dos ENVC: Sobre a necessidade de passar à ofensiva
"Já decorreu quase um mês desde que os terrenos e equipamentos dos Estaleiros foram subconcessionados à Martifer, único oponente aceite a concurso. Convém aqui explicar que a Martifer é um grupo que, desde o seu nascimento, tem vivido à sombra do Estado, espa­lhando-se pelo mundo em diversas áreas de actividade ao ritmo da atribuição de subsídios e benefícios de toda a natureza, subsídios e benefícios que vai dissipando sem nunca sair da cepa torta. É esse, o da subsidiação (no caso, de forma encapotada), o verdadeiro âmbito em que deve ser entendida a subconcessão. Ou seja, não são os ENVC mas a acumulação da Martifer quem está a ser salvo pela subconcessão..." (ler o resto)
"no dia 13 de Dezembro os trabalhadores vão juntar-se na Praça da Liberdade em Viana do Castelo e parar a cidade em defesa dos Estaleiros Navais...Todas as empresas e trabalhadores do distrito de Viana devem vestir de preto e associar-se a esta luta... Não faltem!"

quinta-feira, novembro 28, 2013

Juíza indicada pelo PS salva diploma do Governo dos Ricos

Dividido entre os nomeados pelo PS e PSD, o Tribunal Constitucional acabou por aprovar a "Lei das 40 Horas" pelo voto de sete juízes contra seis. Quem deu a maioria ao acordão redigido por um juiz do PSD foi a maioria de votos dos juizes nomeados pelo PS.

Temos assim mais uma Corporação a agremiar ao desnorte fundamentalista  de gente que nunca mexeu uma palha para ganhar a vida trabalhando fora do âmbito partidário, Governo, Presidência da República, Oposição, Medias opinadores do regime. Cada grupo de interesses puxa a brasa à sua sardinha e o resultado é catastrófico. Não existe equidade a nenhum nivel de regulação do Estado. Aos reformados da classe média, que em média já ganhavam menos 26% que os europeus cortam-se ainda mais as pensões: sete em cada dez pensionistas ganham menos que o salário minimo, o indice de pobreza na velhice é de 9,9%. Enquando os "nossos anafados representantes" no parlamento são aumentados tradicionalmente ... (e cada vez mais) milhões de remediados e pobres de Portugal estão cada vez mais pobres, e os 25 mais ricos de Portugal são hoje donos de 10% do PIB quando há apenas um ano as suas fortunas não chegavam aos 8,5%.

Por outro lado, há projectos para segregar a pobreza. Destruição criativa, pensaram os neocons mal se apanharam à cabeça de tão frutuoso pote pendurado na árvore das patacas. Ganância e prepotência mafiosa misturada com uma incompetência primata em termos de equidade. No caso da nova lei, a função pública afecta à governação trabalhará 40 horas, o funcionalismo ligado às Câmaras Municipais continuará a trabalhar 35 horas...

"acumularam uma factura que agora é preciso pagar (...) e o que está acontecer não é culpa deste governo", (excepto a megalomania que o faz tomar medidas que vão muito para além das exigidas pela Troika) por isso, já há tipos de direita que pretendem pôr o regime no banco dos réus: afirmando que temos "uma Constituição não democrática (a de 1976, alvo de 7 revisões) que fez o obséquio de colocar a "esquerda" como dona do regime", para este professor-investigador do "Nova Finance Center School of Business and Economics" (este ou outro, é desse mesmo que estamos a falar) o Cavaco nunca existiu e Soares esteve e está sempre do lado errado", embora um e outro sempre tenham prosseguido a politica do "Tudo para a Banca". Quem estará no lado certo é decerto o Portas, que paulatinamente entronizado no púlpito da assembleia da república nos aparece a ler atentamente o Jornal de Negócios. Uma imagem vale mais que mil palavras.
mas de onde é que raio nós conhecemos esta música?

quarta-feira, novembro 27, 2013

Julian Assange: “a Internet foi ocupada militarmente pelos Estados Unidos e seus Aliados”

Espiam tudo, com a minúcia de uma operação militar sobre a vida privada das pessoas, e até o insignificante Portugal tem uma sucursal dessa aberração (vem na Visão). Com que intenções? À medida que os documentos divulgados por Edward Snowden vão sendo analisados, vão-se descobrindo novas surpresas: uma das últimas, num documento classificado como top-secret, revela-se que a NSA faz espionagem sobre os hábitos sexuais das pessoas, eventualmente pornográficos, como parte de um plano para desacreditar activistas radicais de esquerda, muçulmanos, ou militantes politicos inconvenientes  (vem no Huffington Post)
Se eles utilizam a Mulher como simbolo para fins degradantes, respondemos-lhes com a mesma moeda.  Sob a palavra de ordem "virarmo-lhes as costas e mostrar-lhes o rabo só é sexy nas fotografias" a professora Roslyn Fuller (na foto), 33 anos, nascida no Canadá,  activista e especialista em direito internacional, explicou por que decidiu editar e vender calendários para 2014 ilustrados com fotografias provocantes destinadas a ajudar os denunciantes dos crimes terroristas dos Estados, como Julian Assange, o soldado Bradley Manning, Edward Snowden e outros relacionados com essa área de especialização"

"o tema da Denúncia não é uma questão bloqueada, intelectual que só podemos discutir na atmosfera rarefeita de academia" disse Fuller, que leccionou na Universidade Nacional da Irlanda em Maynooth, em entrevista à cadeia de televisão RussiaToday: "sem egoísmos, queremos revelar informações que beneficiam todas as pessoas e descobram os abusos graves de poder que ocorrem no nosso sistema actual, para isso precisamos de chamar a atenção das pessoas, captá-las com temas quentes..."; - "Mas não um calendário divertido não corre o risco de banalizar as provas dos denunciantes? - Bradley Manning enfrenta 35 anos de prisão, Julian Assange passou mais de um ano de vida num quarto na embaixada do Equador , e Edward Snowden o denunciante da NSA não poderá voltar à sua terra natal , permanecendo num local secreto na Rússia (...) a banalização é algo em que pensei longamente e percebo que as pessoas possam ter reacções diferentes sobre isso (...) mas apenas estou tentando integrar a denúncia de irregularidades na cultura mainstream , porque nós não podemos vencer esta batalha a menos que possamos levar a maioria das pessoas atrás de nós"

O soldado Bradley Manning, analista de informações no Iraque e no Afeganistão que divulgou mais de 700.000 documentos sobre a espionagem ilegal efectuada pelos EUA, depois de preso e condenado a 35 anos de cadeia por divulgar a verdade, passou a ser "um transexual que nasceu homem, mudou de sexo passando a ser Chelsea Manning, mas foi admitido no Exército como homem. É diabolizado por ter tirado fotografias em 2010 com uma cabeleira loura que enviou por email para tentar engatar o seu supervisor. Após ter sido indiciado para julgamento, voltou de novo a ser "mulher". (wikipedia) 
A Julian Assange, como foi amplamente divulgado na altura, inventaram-lhe imediatamente uma acusação por ter violado duas mulheres suecas, como se não fossem as suecas em geral que violam sistematicamente os homens apanhados desprevenidos. A técnica foi realmente banalizada.
Aconteceu com o governador de New York Eliot Spitzer cujo nome foi divulgado como cliente nº 9 na lista de uma rede de prostitutas de alta roda, tendo uma delas posado nua para capas de revista; culminando o processo com a dona do bordel, Madame Palfrey, a aparecer "suicidada" em circunstâncias misteriosas.
bela ideia prós negócios estrangeiros
Entre nós, fez carreira o escândalo sexual fabricado pela dupla Durão Barroso-Paulo Portas em cujo ministério da Justiça foi inventado o "Caso Casa Pia" cuja intenção oculta foi destruir a imagem da direcção do Partido Socialista, então ainda considerada "muito à esquerda" para os ventos que sopram.
Dominique Strauss-Kahn, indicado nas sondagens como potencial futuro Presidente de França, viu a sua carreira destruida, preso e acusado judicialmente por não ter pago um classico fellatio a uma empregada de limpeza num hotel, mas como a estória teve pouca credibilidade, rapidamente se contrataram actrizes francesas, uma das quais recitou o script de ter sido comida "por um porco", concluindo que ele caso fosse eleito teria transformado o Palácio do Eliseu num clube de swing.

adenda
* Snowden. EUA e Reino Unido receiam revelação de documentos apocalipticos
* As implicações nas nossas vidas e a urgente reforma legislativa de protecção de dados
* Novos televisores inteligentes também são usados para a recolha de dados

terça-feira, novembro 26, 2013

Eanes, o 25 de Novembro, o sequestro dos Media, os lucros da facção Militar vencedora ao aliar-se ao Complexo Industrial-Militar norte-americano

Uma semana antes do golpe vivia-se um clima de grande agitação social. Ao nivel do poder lutava-se por posições no campo estratégico e táctico, alguns militares que haviam sido os vencedores no 11 de Março foram levados para os calaboiços, junto com civis de esquerda, quando esta ainda merecia o nome. É neste parêntesis que estala a crise no jornal "O Século", cuja direcção e redacção são destituidas como reaccionárias em votação da esmagadora maioria dos trabalhadores do jornal - que por seu turno pretendiam entregar a chefia a Roby Amorim, um prestigiado jornalista afecto à linha politica do Movimento Reorganizativo do Partido do Proletariado (MRPP).
 O jornal duraria apenas mais dois anos, encerrado em 1977 com uma cínica parangona escrita por Ramalho Eanes e um editorial que filosofava sobre o abate do jornalismo competente e honesto, atribuindo as causas, enfim, "a coisas da condição humana"...

Comemora-se os 38 anos do golpe de estado reaccionário que assassinou a Revolução dos Cravos. Não deixa de ser sintomático que Ramalho Eanes, um dos autores do golpe seja homenageado nesse preciso dia numa cerimónia que contou com a classe dominante em peso, tais como o patrão da Sonae, a Mota Engil, a oligarquia política, certas individualidades do "sistema", enfim, os "vencedores", aqueles que mais beneficiaram com a contra-revolução instaurada a 25 de Novembro de 1975. Uma das priomeiras medidas de Eanes quando se apanhou General foi a de transferir o Fundo Militar do Ultramar que geria as verbas envolvidas nas campanhas militares da guerra colonial (geridas até aí pelo Estado) para o âmbito restricto do Estado Maior General das Forças Armadas (onde o Estado, por exemplo, pela mão do ministro da Defesa Adelino Amaro da Costa, não metia o bedelho)

O envolvimento de Portugal no escândalo do tráfico de armas "Irão-Contras", Camarate (1), e o capitulo censurado e apagado da "investigação" oficial norte-americana (2)

Rumsfeld, Ford, Cheney, Reagan, Herbert Bush, Ford, Rumsfeld, Bush, Cheney
Robert Parry no seu livro “Neck Deep: The Disastrous Presidency of George W. Bush" faz novas e fundamentadas revelações sobre o escândalo Irão-Contras (1983-1988) concluindo que este foi o programa piloto para os Neocons usurparem os Governos através do buraco negro das Vice-Presidências não eleitas – que representam o partido da Guerra, das Corporações e de toda a espécie de patifes com mundovisões de extrema-Direita. Nesta entrevista, o autor realça as provas apresentadas pela própria CIA quando esta agência governamental admitiu tolerar o tráfico de droga trocada por armas a partir da Nicarágua. O que em tempo lhes valeu o acrónimo CIA, Cocaine Import Agency. Ironias aparte, é de salientar os efeitos de tudo isto a longo prazo, verificando que tanto o criminoso Dick Cheney (vice-presidente de George W. Bush) como o comparsa Donald Rumsfeld já eram chefes-de-gabinete dos presidentes Gerald Ford em 1975 e de Ronald Reagan em 1981. Recorde-se que Ford foi o presidente cujo primeiro acto foi perdoar a Nixon as consequências do processo criminal por envolvimento no caso Watergate; e Reagan o presidente que afirmou pela boca de Cheney “que os défices orçamentais não interessam para nada” (deve ter sido daqui que o nosso José Sócrates encornou a sua filosofia); então estratégia económica inaugural do Neoliberalismo, (politica que já havia sido testada com êxito em 1973 no Chile de Pinochet)

Ramalho Eanes foi o primeiro peão de brega a aceitar colocar Portugal na órbita de interesses de assassinos transnacionais, negociando com o Pentágono, por uma década, o alinhamento com a estratégia da Nato - o que coloca os portugueses na qualidade de contribuintes liquidos para as guerras do Império, ou seja, na prática os Estados Unidos cobram-nos um imposto directo como súbditos. Com que interesses corporativos concretos nos cobrou anos a fio de austeridade  não sabemos. Só sabemos que Eanes recusou um  milhão de euros graciosamente oferecidos pelo PS que lhe eram devidos em retroactivos de reforma como general. O que significa que não está na mesma condição miserável de 3 milhões de portugueses, com outros tantos a caminho da pobreza. Portanto Eanes, o homem de mão do golpe militar de 25 de Novembro de 1975, o mandatário da candidatura de Cavaco Silva (3) à presidência da República, quando se entrega à técnica aprendida com os jesuitas de Navarra de se comover em público e chorar lágrimas de crocodilo na sua homenagem... só nos pode dar vontade de rir.
(1) o Affair Irão-Contras, a Revolução Islâmica e a Crise dos Reféns norte-americanos, explicada pelo insuspeito New York Times 
(2) Muito oportuno, "Eanes diz existirem documentos nos EUA que podem trazer luz sobre Camarate", mas não indica as fontes de que dispõe para produzir tal afirmação. Terá sido o secretário de Estado George Schultz na Base Militar de Andrews ou George Herbert Bush que então era director da CIA, de seguida foi vice-presidente de Reagan, e depois Presidente tendo nessa qualidade recebido a Cavaco Silva em visita particular? (uma honra concedida a muito poucos)
(3) a levar em linha de conta:
"Os elogies de Eanes a Cavaque há exactamente três anes.."

segunda-feira, novembro 25, 2013

25 de Novembro, o dia em que se concertou a politica do Povo não poder subir as escadarias de acesso ao Poder

Nota comemorativa da efeméride. Termina hoje dia 25 o prazo após o qual o processo dos submarinos que envolve o vice-1ºministro é arquivado

17 de Maio de 1975. Ocupação do jornal "República" pelos trabalhadores contra a direcção do maçónico Raul Rego (PS) que tinha transformado aquele orgão "de informação" num feroz meio de propaganda anti-comunista.

"ameaça comunista"; nem o Presidente da República escapava
Militantes da linha social-fascista do PCP ameaçam controlar o processo. Perante o impasse considera-se encerrar o jornal. Em frente junta-se uma multidão; grita-se e exibem-se cartazes: "o República é do Povo, não é de Moscovo"... "Fechar o República é trair Portugal"..."Não se pode ignorar a vontade popular"... "fechar o jornal é fazer o jogo do Cunhal" - Aparecem as chaimites do Copcon "para manter a ordem". O ministro da Comunicação Social comparece igualmente para tentar impor o ponto de vista do governo: "O República é propriedade privada dos seus accionistas; é à administração que pertence o suporte legal para fazer o que quiser e entender; não me parece que o jornal seja assim tão partidário como se afirma; logo, quem não estiver de acordo que mude de casa". Um major chega à varanda mas não tem sequer oportunidade de abrir a boca, é vaiado pela multidão que pergunta: "de que lado está o MFA?" a 28 de Maio o Copcon prende 400 militantes do MRPP. O Expresso publica em editorial: "se o VI Governo falhar em restabelecer a confiança, recuperar a economia e desfazer os falsos mitos, se readquira personalidade e o auxilio externo surja sem imposição de condições aviltantes para a independência nacional, a seguir vem o fascismo, a ditadura militar, a intervenção estrangeira. A revolução será enterrada sem cerimónias fúnebres e desfeitas estarão as belas esperanças penosamente ressuscitadas". Por acaso (!) Caído o governo de Vasco Gonçalves governa a nóvel coligação PS-PSD presidida pelo Almirante Pinheiro "Bardamerda" Azevedo. Começa o ciclo em que PS e PSD se eternizam no poder...

Decorrerá hoje um debate sobre o 25 de Novembro que colocará frente a frente Otelo Saraiva de Carvalho e Vasco Lourenço. O evento terá lugar no Anfiteatro da Sociedade Portuguesa de Autores, à Av. Duque de Loulé, pelas 18h00.

Seria de grande utilidade que uma voz democrata colocasse as seguintes questões a Otelo:
1. Em que é que, o facto de o COPCON, força militar que comandava em 1975, ter levado a cabo uma operação de invasão de dezenas de sedes e à prisão de mais de quatro centenas de militantes o MRPP, contribuiu para a revolução?
2. Qual terá sido o acaso que levou a que esta acção tivesse ocorrido numa data tão querida ao regime fascista que Otelo tanto se vangloria de ter contribuido para a sua queda, o 28 de Maio?!
3. Como é que a circunstância de se ter proibido o MRPP de participar nas primeiras eleições ditas livres, após o 25 de Abril de 1974 – precisamente para a Constituinte – contribuiu para o processo revolucionário em curso?
4. Ademais quando a justificação imediata foi o cumprimento da execução de uma lei – que mereceu a cobarde santa aliança entre PCP, PS, PPD e CDS – que proibia o MRPP de utilizar o símbolo da foice, do martelo e da estrela. Uma prerrogativa a que, como se veio a confirmar pelo facto de o PCP se ter sempre apresentado a eleições por detrás dos símbolos disfarçados, primeiro da APU e, depois, da CDU, só os comunistas do MRPP tinham direito e legitimidade.

Para memória futura, entenda-se. Visto que, felizmente, de Otelo a história já só se guarda na memória uma ridícula quão bizarra imagem de personagem de ópera bufa!

domingo, novembro 24, 2013

entre a conspiração que assassinou Kennedy e a ênfase numa espécie de imperialismo côr-de-rosa

os Media-tablóides que cobrem a vida dos famosos, como o Público, Correio da Manhã e afins, todos os anos adoptam o assassinato do presidente Kennedy para a ajudar a facturar mais uns parcos trocos. Mas cada vez escasseiam mais os compradores de mentiras. Desde novelas vendidas juntamente com os jornais, passando por séries intensivas de televisão, a aspiradores intelectuais do regime, é um fartar (do inglês "fart", peido) sem que, entre outros, o mal-cheiroso Vasco se enxergue, quando previamente concertado com a restante escroquerie manipuladora empesta o ambiente ao aliviar-se...

... com sentenças como a de que "Kennedy, para mal dele e do mundo, foi um presidente mediocre e pior ainda, liquidou o presidente do Vietname do Sul e inaugurou a presença militar (norte) americana numa região em que não havia nada a ganhar" (em 1963). Refere-se o opinador, evidentemente, à intervenção militar dos EUA nos assuntos internos dos paises no sueste asiático a fim de combater o comunismo, iniciada sim por Truman (1949) com a guerra da Coreia (1952) e à escalada militar iniciada por Lyndon B. Jonhson (em 1967 com meio milhão de soldados) que com a Doutrina Nixon (1969) alcançou 1 milhão de soldados no terreno. O próprio Nixon afirmou, avisando a população de que já havia 50.000 soldados americanos mortos, que essa guerra havia começado à 4 anos (the war had been going on for 4 years). Portanto em 1965, já Kennedy tinha sido assassinado havia dois anos, precisamente por ser um obstáculo às ambições do Complexo-Militar-Industrial de incentivar a guerra, ambição que Lyndon Jonhson satisfez, ou não fosse ele um dos mandantes do crime. Mas bastava ao "historiador" ter ido a uma matinée ver "The Ugly American", que entre nós estreou com o nome de "O Embaixador" (1963), baseado numa novela politica ficcionada sobre o envio de conselheiros ideológicos e militares para o Sueste asiático a coberto dos serviços diplomáticos, prática oculta que decorre, senão antes, desde 1958. Vasco Pulido Valente é um aldrabão, ponto final. Em assuntos sensiveis de "keynesianismo militar" decidem o Pentágono e a CIA, os Presidentes são um verbo de encher. E como para filho-da-puta, filho-da-puta-e-meio, Lyndon Jonhson para se limpar no término do seu mandato, haveria de acusar Nixon de traição "por ter sabotado as negociações de paz com os vietnamitas" para que a guerra continuasse.

"O maior inimigo da verdade não é tanto a mentira deliberada e desonesta, mas sim o mito persistente, persuasivo e irrealista" (JF.Kennedy)
"Existe uma conspiração neste país para escravizar todos os homens, mulheres e crianças. Antes de eu abandonar este nobre e elevado cargo, tenciono denunciar essa conspiração" (John Fitzgerald Kennedy, sete dias antes de ser assassinado).

Existem centenas de milhar, senão milhões, de páginas escritas e guiões de verborreia sobre as mais diversas teorias de conspiração sobre o assunto, incluindo as teses que defendem que não existiu conspiração no abate do 35º presidente dos Estados Unidos. Todas com interminável pormenorização e picuinhices sobre quem disparou o gatilho, nas oficiais com pouca ou nenhuma investigação sobre os objectivos do crime, a começar pela cortina de fumo lançada pela Comissão do juiz Earl Warren, nomeada e sabotada por Jonhson - que não descobriu ali um complot ao mais alto nivel do Estado e que os Media ainda hoje tentam encobrir. Factos apurados, na véspera do crime reuniram-se em Dallas: Howard Hunt, J.Edgar Hoover, Richard Nixon e Lyndon B. Johnson na mansão do magnata texano do petróleo Clint Murchison. Passando pela politica de negacionismo, são basicamente 3 as razões para o crime:

Kennedy tinha inscrito na sua agenda acabar com as sociedades secretas, em primeiro lugar o Conselho Sionista Americano registando o lobie dos judeus norte-americanos como "agentes estrangeiros"; na sequência da crise dos misseis, cuja retirada de Cuba teve como contrapartida da URSS a instalação de uma Base da Nato na Turquia, negando-se assim os EUA a fornecer armas nucleares a Israel; pela "Ordem Executiva 1110" Kennedy pretendeu substituir a emissão de crédito em notas bancárias pelo consórcio de Bancos Privados agrupados na Reserva Federal, passando a criação de dinheiro a ser monopólio do Estado ao serviço dos cidadãos e não do lucro de uma pequena minoria da elite dominante.
Pressinta-se a diferença - as novas notas chegaram a ser impressas
e as notas falsas, porque a sua emissão radica em valores ficticios, floresceram, alastraram ao controlo sobre o mundo inteiro e são hoje, passados 50 anos, a base que sustenta a maior fraude que alguma vez a Humanidade enfrentou
Desde 2006, o dólar dos EUA desvalorizou-se, conforme a perspectiva, entre um quarto a um terço em relação ao yuan chinês; e a China anuncia que vai pôr termo à poupança para investimento em dólares

sábado, novembro 23, 2013

O ministro da Defesa disse hoje que “as Forças Armadas sabem muito bem qual é o seu papel”

e o povo também vai sabendo: 
preparar intervenções em zonas de crise para controlar civis
disse mais o ministro: que "o mau exemplo de ontem com as forças policiais em protesto a subir as escadarias da AR transgedindo a lei, não se voltará a repetir"...

... escadarias só se for as do Bom Jesus de Braga
ou auxiliar a população a ir ver a senhora de Fátima a pé
Na tribuna do jornal da Sonae, polidamente, o Vasco Valente desanca Soares e afirma que o "Exército está unido e relativamente resignado"... (dir-se-ia refastelado, com qualquer soldado básico a auferir 3.000 euros de salário mensal por comissões no estrangeiro. Poder-se-ia saber a tabela remunerativa da oficialagem superior e se em Portugal é fácil arranjar empregos deste nivel nos sectores produtivos?) - VPV concluiu portanto que por aí não haverá revolta e, a haver violência... "ela seria inconsequente e não mudaria nada, excepto a taxa dos juros"
ainda aqui, os titulos dos jornais são enganadores, não são apenas os juros do empréstimo da Troika (quase metade do empréstimo de 78 mil milhões são para pagar juros e comissões aos Bancos conluiados com as elites governantes), mas um total de quase 9 mil milhões para pagar o serviço da Dívida em cada ano que passa.

sexta-feira, novembro 22, 2013

Director Nacional da PSP obrigado a demitir-se, ministro Macedo diz que de onde este veio há mais

"Temos familia!" gritaram ontem os policias enquanto "invadiam" a escadaria do Parlamento. Quem é o português, que não tenha nascido do ar, que não tem familia? invasão de quê? o sitio é público. A porta da Assembleia está aberta e os parlamentares vendidos que estão lá dentro devem prevenir-se se não saírem pelo próprio pé? de modo nenhum. É óbvio, nenhuma instituição burguesa (de repressão) libertará o povo

Por exemplo, estas forças policiais militarizadas actuam no controlo de civis. Para não parecer demasiado óbvio, são destacadas para zonas longinquas, enquanto aqui qualquer veleidade de libertação do espartilho da NATO seria susceptivel de ficar sob controlo de forças estrangeiras adstritas à União Europeia antes de chegar a essa solução in extremis, basta ouvir o outro ministro das "forças da ordem"

"Lance iscos para atrair o inimigo. Finja desordem e esmague-o" 
(Sun Tzu, in "A Arte da Guerra")
A encenação de ontem, de policias todos amiguinhos uns dos outros, deixa a porta aberta para a armadilha de um qualquer grupo de manifestantes pretender repetir a invasão das escadarias da AR, mas a sério (e não apenas 8 degraus) - para acabar de vez com a vontade de haver manifestações... o Povo vencerá, não através de actos simbólicos, mas ocupando tudo, expropriando os donos de propriedade e bens adquiridos de forma ilegal...
a montanha da AR que todos eles escalaram, pariu uns quantos ratos de volta a casa

Enquanto um punhado de patuscos andam a "juntar as esquerdas num programa comum para defender a Pátria" e deliram com o discurso do entertainer mais aplaudido da noite, o PS alinhando com a maioria que suporta este governo, aprovou as novas regras de ajuda Estatal à Banca...

policias amanuenses amigos de policias de choque (es)gaseiam o ministro

14 de Novembro de 2012. Em frente à Assembleia da República gente pobre com uniforme golpeia gente pobre com fome para beneficiar gente rica sem uniforme nem fome. o ministro Macedo proclama: "são meia dúzia de profissionais da desordem e da provocação!".

21 de Novembro de 2013. De forma simbólica e perante a ausência de repressão pelos seus pares, manifestantes das forças de segurança invadem as escadarias do Parlamento, enviando uma mensagem clara ao Governo: dêem-nos mais dinheiro! (ou demitam-se) e entoam folcloricamente por diversas vezes o hino dos gajos que lhes pagam o salário. Sintomático: no final os policias manifestantes acabaram a bater palmas aos policias de choque slogando "a polícia unida jamais será vencida!". Unida contra quem?

as Corporação policiais, normalmente comandadas por altas patentes das Forças Armadas, existem para garantir o funcionamento do modo de produção capitalista, da sociedade burguesa, através da violência repressiva contra os trabalhadores. Há uma crise no seio do Estado burguês, mas nesta manifestação não há nada de revolucionário. Pode no entanto abrir caminho para acções mais radicais; quem havemos de conclamar, quando não se cumpre a Constituição Portuguesa, para ajudar o povo? Só há um caminho, caminhar empunhando os nossos próprios bastões, o povo em armas, entoando o hino dos explorados: 

quinta-feira, novembro 21, 2013

a jornalista Ana Leal e o caso da censura pela TVI da denúncia de corrupção no Processo Siresp

"Os capitalistas chamam liberdade de imprensa a compra dela pelos ricos, servindo-se da riqueza para fabricar e falsificar a opinião pública" (Lenine)

Ana Leal, jornalista da TVI recebeu esta manhã uma nota de culpa no âmbito de um processo de inquérito e está impedida de entrar nas instalações da estação televisiva até conclusão do processo disciplinar (fonte)
Como sempre acontece a quem se nega a dobrar a cerviz aos poderes (mal) instituidos, o acusador virou acusado. Recorde-se que, no passado mês de Fevereiro, Ana Leal tinha apresentado uma queixa escrita ao Conselho de Redacção (CR) da estação de Queluz acusando a subdirectora de Informação, Judite Sousa, de ter censurado uma peça sobre o Sistema Integrado das Redes de Emergência e Segurança de Portugal, conhecido pela sigla SIRESP.  
O escândalo do Siresp envolve o gang do Presidente, altas esferas do sistema de Segurança Interna, espionagem e escutas ilegais, tudo a funcionar em regime de Parceria Público-Privada sob o alto patrocinio de personalidades do "arco da governação" (corrupta). O sistema de informações e vigilância electrónica que interliga todas as polícias foi adjudicado pelo valor de 538,2 milhões de euros! num concurso em que o único concorrente foi a Sociedade Lusa de Negócios, a holding do BPN. O que diz muito sobre a "transparência da negociata". A denúncia do caso foi investigada pelo DCIAP, mas como é habitual não houve resultados e o processo foi arquivado em 2008.
A reportagem censurada sobre SIRESP feita por Ana Leal para ser transmitida em prime time na TVI-Marcelo acabou por ir para o ar à 1 da madrugada e apenas no canal do cabo - é pouco ou nada conhecido quais seriam os tópicos da reportagem mas, para além do escândalo de corrupção, o sistema permite às Policias rastrear a uma velocidade inédita todo o tipo de chamadas em tempo real, facultando acesso inclusivé a dados privados como a identidade dos intercomunicantes, o lugar de onde fazem a chamada, a operadora que utilizam e inclusivamente qual o tipo de contrato que possuem com a operadora. E estes dados, sabe-se agora, estão à disposição dos serviços de espionagem norte-americanos da NSA, isto é, a ingerência na vida privada das pessoas configura uma espécie de ditadura velada que impende sobre todos os cidadãos nacionais. Como se infere, censurar noticias sobre pontos sensiveis como este na TVI (e nos outros canais) vem sendo habitual. Embora para a plebe telespectadora afirmem que não existe censura.

Foi Você que pediu uma Nova Pide? PSD e CDS apresentam projectos de lei sobre regime do segredo de Estado que explicite as matérias abrangidas e agrava as penas para a sua violação

quarta-feira, novembro 20, 2013

a euforia nacional em torno do fenómeno Ronaldo

Hoje não há jogo de futebol que envolva a honra nacional, amanhã não sabemos o que será dos telejornais, vazios de conteúdo. A SIC hoje bateu o recorde: a primeira noticia fora do âmbito deste importante acontecimento só foi dada após 33 minutos do inicio da telejornal - o video abaixo é uma falsificação, porém retrata fielmente uma situação que dá muito jeito ao Cavaco e ao Coelho, que lá para Junho do ano que vem ficam com terreno livre para aprofundarem novas medidas terroristas contra o povo, que por essa altura estará embevecido com novas peripécias do chuto na passividade enquanto a Troika renova o contrato



e enquanto rejubilas com os goooolos: 
e como os benfiquistas são 2/3 da Nação (psd): 
e no final não há dinheiro (!) 

terça-feira, novembro 19, 2013

o que está a acontecer não é resultado de mera incompetência, mas sim fruto de um plano bem estruturado

Se o que vemos já nos revolta... imagine-se se soubéssemos o que nos escondem. 

Comissária Europeia diz que o mundo tem de se preparar para o «impensável» (aqui)

"Claro que muita gente irá morrer no processo de implantação de uma Nova Ordem Mundial, porém teremos um mundo bastante melhor para os que sobreviverem (...) os idosos são apenas inúteis que se têm de alimentar" (the elderly are useless eaters" (...) "os militares são burros, animais estúpidos, para serem usados como peões na nossa politica externa" (Henry Kissinger, citado em "The Final Days")

a teoria da Destruição Mutuamente Assegurada (MAD, Louco, na sigla em inglês), é uma doutrina de estratégia militar e de segurança nacional norte americana, na qual se considera que a utilização em larga escala de armas de alto rendimento de destruição em massa por dois lados opostos causaria a aniquilação completa de ambos, o atacante e o defensor. Nasceu como resposta à estupefacção mundial após os ataques a Hiroshima e Nagasaki e ao imediato equipamento com os mesmos meios como defesa por parte da URSS (wikipedia)

Zigbniew Brzezinski admite: "focos de resistência global" fazem descarrilar a Nova Ordem Mundial" (aqui)

Equacionando os tópicos destas citações, considerando o facto da politica de empobrecimento intencional da população, que está a gerar um numero de sem-abrigo crescente (e como já sabemos estão a começar a ser encaminhados para campos de concentração), conclui-se que está em marcha um plano que visa reduzir a população mundial em 2/3, ainda que a esmagadora maioria da população ainda não tenha noção desta realidade. Como estão a fazê-lo?
1. monopolizando o sistema financeiro, 2. pelas Politicas de Austeridade, 3. Controlo da Cadeia Alimentar, 4. Privando a Humanidade de bens essenciais, 5. Geo-Engenharia sobre o Clima, e 6. Através da Indústria Farmacêutica. (faltando ainda acrescentar a estupidificação das populações através dos Media Corporativos e a Repressão, vigiando, criminalizando e punindo os Dissidentes)

segunda-feira, novembro 18, 2013

finalmente, LIVRE

diz-se que a jogada do Rui Tavares&$Associados é precisamente ser re-eleito como deputado para o Parlamento Europeu, um cargo que ao fim de apenas 15 anos de serviço lhe dá uma reforma de 9.000 euros mensais… o que não é coisa pouca, considerando que a emancipação da classe de produtores assalariados (segundo a filosofia do nado-vivo) será feita por “pessoas”, ou seja, vamos todos, com o nosso esforço individual avulso e “livre” reinvindicar 9.000 euros por mês para todos. Obviamente, sendo uma atoarda "centrada ao meio" a resposta foi ao centro: Tavares recusou (em principio) integrar as listas do P"S" para ser eleito por esse lado e continuar em Estrasburgo. E apressou-se a desfazer o equivoco que o poderia ligar àquela corporação politica: "no meu ponto de vista, diz Tavares, Portugal deve manter-se na zona Euro e aprofundar o seu papel na construção europeia". Como disse outro deputado: "o BE viu-se LIVRE do Rui Tavares. Mas os portugueses não têm a mesma sorte" (aqui)

Meta objectivos da empreitada. Rui Tavares admitiu em tempo na sua coluna do "Publico" ter ascendência judaica, "o que lhe daria por si só o direito de reclamar a cidadania israelita" podendo mudar-se para ali de armas e bagagens (como fez o seu conterrâneo irlandês cuja pátria é o Sião Global). Não parecendo Tavares para aí virado, tem sempre de se subentender a criação de mais um partido que vai dividir a "Esquerda" como mais uma aposta da agenda oculta do Sionismo Global.

Mas que "Judeus"?  - Hoje em dia 95% dos autodenominados "judeus" não são de origem hebraica nem sequer semita

* Defender a “Renegociação da Dívida” é fazer o jogo do Governo e da Tróica

domingo, novembro 17, 2013

David Cameron apela à Austeridade Permanente ridiculamente rodeado de peças Douradas

Cameron, o herdeiro cuja família (por sinal judaica) enriqueceu a expensas da Guerra do Ópio durante o saque à China no século XIX, afirmou durante o banquete do Lord-Mayor na City de Londres, que a austeridade e um "Estado mais magro" devem ser conceitos permanentes – os gastos com o sector público devem continuar a ser espremidos visando uma “fundamental mudança de cultura” - a melhor maneira de manter baixo o custo de vida, tomando "decisões difíceis para conseguir um Estado que possamos pagar". Não é o que ele diz que faz a notícia, mas sim o faustoso cenário e objectos que encenam o discurso, a saber:

Um enorme trono entalhado a ouro.
Um pulpito dourado
Cálices em ouro para champanhe;
Uma estatueta de um cavalo em prata
O enorme colar em ouro da senhora sentada no trono.
Casacas de luxo com laços brancos

sábado, novembro 16, 2013

"quer dizer...

... dá-me uma guitarra, dá-me um piano, dá-me uma vassoura e uma corda, e eu não vou andar por aí cheio de tédio" (Keith Richards)

Depois de ter sido "chutado para cima" com funções no BEI (Banco de Investimento Europeu), - o equivalente ao Eurogrupo para a área do endividamento dos paises na Europa em projectos não aprovados democraticamente pelo povos - o "socialista" Cravinho, depois de anos a fio nessa actividade, vem dizer que Portugal deve pedir, "no mínimo dos mínimos", mais 40 anos para pagar a dívida, no quadro do fundo de redenção europeu" (1). Não há nada como garantir a segurança do negócio em termos futuros. Ao contrário, seria uma hecatombe para a burguesia acoitada à sombra da dependência nacional do projecto politico europeu, se o povo português fizesse o que deve ser feito: suspender de imediato o pagamento da Dívida de carácter odioso e ilegal (2), submetê-la a uma rigorosa auditoria, responsabilizar criminalmente os decisores envolvidos.

(1) ler a entrevista, onde Cravinho "aplaude o reforço de poderes das instituições europeias, o exame à troika pelo Parlamento Europeu (e o Povo pá?!) e lança críticas a Barroso, que diz "não ter estado à altura" do cargo. (aqui)

(2) Uma moratória, concernente ao direito internacional público, consiste no acto unilateral de um Estado declarar a suspensão do pagamento dos serviços da sua dívida externa, invocando, por exemplo, má fé nas partes contratantes que conduziram a uma bancarrota fraudulenta. (wikipedia) 

 (3) Até o Keith Richards, nalgum curto lapso de tempo em que não esteja pedrado, é capaz de ver que a realidade que nos é transmitida pelos veiculos de comunicação governamental, não é senão uma palavra, como aliás a sua irmão gémea: a Ficção; ou que o Gangsterismo nada mais é que um estádio superior do Capitalismo
"Espero bem que consigamos manter este estado de coisas sob controlo, antes que a policia descobra quem é que lhes anda a roubar as pensões"

sexta-feira, novembro 15, 2013

O "portugal do governo saíu da recessão" mas os Portugueses não.

A Troika é apenas um conjunto de técnicos financeiros que recolhem dados e os enviam ao Eurogrupo, onde os ministros das Finanças dos países do Euro decidem sobre que medidas de austeridade ou de “ajuda” devem endossar aos países membros, segundo os interesses do núcleo duro da “União” industrializada e desenvolvida. É esse directório da EU que de forma absolutamente anti-democrática decide a formação do bloco político Europa (500 milhões de pessoas unificadas mercantilmente para competir com a China, de acordo com os interesses dos Estados Unidos)

... logo, quando se diz que Portugal precisa de mais austeridade, não é o intermediário Fundo da Miséria Intencional que o diz, mas sim a força hegemónica que controla o Eurogrupo, ou seja, a Alemanha 
especificando:
são 7 as "recomendações" que a Alemanha, dirigindo o novo paradigma europeu, faz para um Portugal dirigido por uma corja de lacaios instalados, tanto no Governo, como na "Oposição" (adivinhe-se aqui quais) 

Subservientes, Portas e Passos concordam: "Estamos disponíveis para tomar medidas adicionais, se forem necessárias para ir ao encontro dos objectivos do programa e disponíveis para consultar o FMI, a Comissão Europeia e o Banco Central Europeu, se for necessária a revisão de políticas" - segundo se diz na carta enviada ao FMI, datada de 24 de Outubro e assinada por Paulo Portas, pela ministra das Finanças e pelo governador do Banco Central português Carlos Costa. Nesse sentido,  as altas instâncias que mantêm este Governo em funções comprometem-se com a Troika a apresentar até ao final do ano um relatório com novas medidas sobre flexibilização salarial... e já agora, com mais cortes nas pensões de reforma para "conseguir um equilíbrio sustentável das contas" (deles) da banca e das multinacionais interessadas em privatizar tudo o que lhe dê lucro - contra os interesses do povo em geral - no seio do qual se desenrola um inenarrável agravamento da miséria: "todos os dias 10 portugueses deixam de pagar a casa" .

No final da infindável linha, a pressão dos "mercados" financeiros sobre um país crescentemente endividado, a tutela do Tratado Orçamental e a fragilidade da nossa economia não desaparecem com o fim do Memorando da Troika. Muito menos o processo de Germanização da Zona Euro é suspenso. E é neste ambiente de sucesso (1) que se anuncia o regresso à coutada de mais um insigne funcionário das altas instâncias ocultas - que vem tentar assumir-se como luxuoso figurante do actual paradigma capitalista na "candidatura à Presidência da República, como aspiram alguns dos seus amigos e apoiantes políticos". Ora, com amigos destes, o povo português, enquanto colectividade de interesses comuns, já tem obrigação de perceber quem são os seus inimigos!

(1) UE investiu mais de 73 milhões de euros para ajudar desempregados em 2012. Portugal não se candidatou...

quinta-feira, novembro 14, 2013

o general comentador e ex-ministro que admite nunca ter sido nada com ele

O deputado Ribeiro e Castro intervém na X Comissão Parlamentar de Inquérito à Tragédia de Camarate durante a audição do General Loureiro dos Santos, na qualidade de Ministro da Defesa Nacional do IV Govemo Constitucional, entre Novembro de 1978 e Juiho de 1979, e do V Govemo Constitucional, entre Jutho de 1979 e Janeiro de 1980


.
O General sabia qualquer coisa sobre "a venda de armas em Portugal", (pelos vistos não sabia é que essas armas eram provenientes de Israel com destino ao Irão). Em 1980 o Conselho da Revolução, sob o alto controlo do General Ramalho Eanesdecidiu e mandou publicar como Lei a transferência do saldo do Fundo financeiro utilizado para esses negócios (FDMU), para o conselho administrativo do Estado-Maior General das Forças Armadas (EMGFA), mas o General não sabia nem sabe de nada...

quarta-feira, novembro 13, 2013

Estado prevê nacionalizar os restantes 30% dos serviços públicos dos Correios e entregar as Lojas do Cidadão como negócio privado a integrar nos CTT

entretanto, os contribuintes vão ser obrigados a pagar mais 1 Milhão e meio de euros pela negociata (a acrescentar aos 8,5 milhões que perfazem o total da empreitada), uma verba que o Governo não tem prevista no Orçamento de Estado para 2014. Estes imbecis impregnados de má-fé não se cansam de "organizar" tanta trafulhice na sua fúria de saquear as funções sociais do Estado?

(Público, 13Nov)

Governo admite vender todo o capital dos CTT. O ministério da Economia vai monitorizar "as condições de mercado com vista à potencial privatização" da restante participação do Estado na empresa pública. Ora o "mercados", convém não esquecer, são os accionistas das multinacionais estrangeiras... (I.online)

terça-feira, novembro 12, 2013

como não há esquerda sem direita, este foi buscar o Sarkozy à prateleira

Enquanto o farsante da "esquerda" François Hollande debruçava a cerviz sobre o "soldado desconhecido" (como usa fazer perante os actores desconhecidos do capital financeiro), não se escapou aos apitos, aos apupos dos boinas vermelhas e a ver-se compungido (coitadinho) a ordenar uma carga policial sobre os manifestantes durante as comemorações em honra dos soldados franceses que morreram durante a 1ª Grande Guerra Mundial, efeméride que se encena todos os anos no dia 11 de Novembro (fonte). Como se a França fosse a grande heroina e vítima de uma das maiores carnificinas que a Humanidade conheceu no século XX...
Lista do Número de Vítimas por País na 1ª Grande Guerra