Pesquisar neste blogue

quinta-feira, abril 30, 2015

afinal Portugal está diferente da Grécia em quê? (II)

e se em vez de averiguar o que se propõem continuar a fazer para o futuro, 
se fizesse uma auditoria ao que foi feito no passado?
acontece que o autor do bitaite de psd é de uma estirpe mentecapta, diria mesmo filha da puta

Nunca devemos subestimar a capacidade das duas associações de interesses do Bloco Central de dar tiros nos pés. "Ao contrário do que tem sido dito pelo governo no constante vangloriar pela redução pela redução para minimos históricos das taxas de juro, "e ainda bem", o mérito não é do primeiro-ministro mas de Mario Draghi. "Estamos a ser free-riders de um ambiente europeu positivo que nos diminui os encargos de serviço da Dívida mas que não nos diminui a Dívida, antes pelo contrário" (Francisco Seixas da Costa, entrevista ao DN)
  18 Abril
"Entre 2011 e 2013, Portugal perdeu 6 por cento do PIB nos três anos em que PSD, CDS e a "troika' governaram este país às mãos da recessão causada pela austeridade e políticas agressivas contra os salários" (Mariana Mortágua em Dezembro de 2013)

 Qual a razão porque no site do Ministério das Finanças o gráfico da evolução da Dívida Pública pára em 2011?
vai uma ajudinha? A dívida pública portuguesa no final de 2013 era de 204.252.341.733€. No final de 2014 era de 217.126.401.453€. No final de Fevereiro de 2015 era de 228.226.646.971€.  E no entanto dizem que dívida pública está controlada:

quarta-feira, abril 29, 2015

Dia Mundial da Dança


Democracia e Liberdade não podem ser sequestradas por interesses de Privados!

O Direito à Habitação está consagrado no artigo 65 da Constituição da República Portuguesa e é reconhecido pelos demais instrumentos internacionais em matéria de Direitos Humanos, ratificados por Portugal dentro do contexto dos países da União Europeia.


A Câmara Municipal da Amadora, presidida pelo Partido dito Socialista tem nos últimos dez anos desalojado centenas de pessoas nos Bairros de Santa Filomena, Estrada Militar, Estrela D`África e 6 de Maio, sem providenciar qualquer alternativa digna aos moradores. Apesar das recomendações do Provedor de Justiça, a autarquia persiste em continuar um processo ilegal: demolir habitações. São crianças, pessoas idosas, mães solteiras, pessoas com problemas de saúde, desempregados, postos na rua sem uma solução habitacional adequada. Isto agrava ainda mais a já frágil situação social destas comunidades. Neste contexto social de crise económica os níveis de desemprego, exclusão e pobreza são exponencialmente maiores dentro destas comunidades. Este violento atropelo à dignidade da pessoa humana tem-se intensificado nos últimos meses e a determinação fanática do executivo socialista da Amadora na erradicação destes bairros, indica que continuará, uma vez que serve interesses privados de especuladores imobiliários que compraram recentemente estes terrenos. Vazios os terrenos valem mais, e no entanto, quem comprou sabia que haviam milhares de famílias que aqui habitavam há muitos anos e não assumem qualquer responsabilidade. A Câmara da Amadora está ao seu serviço.
Nos dias 24 e 25 de Março em Santa Filomena, a autarquia, munida de uma brutal força policial, e sem qualquer mandato legal, entrou no bairro arrombou a porta das casas e desalojou 7 agregados familiares, num total de 35 pessoas no bairro Estrela D'África, na Damaia, num total de 17 pessoas expulsas, incluindo 5 crianças. É preciso pôr fim a este urbicídio. No dia 25 de Abril, dia de conquista de Direitos, Liberdades e Garantias, como o Direito à Habitação, os moradores dos bairros auto-construídos de Amadora, sairam à rua juntamente com colectivos e cidadãos e concentraram-se no largo do Rato. Foram perguntar se a dignidade dos moradores continuará a ser espezinhada em nome da subserviência do Partido Socialista de Amadora aos interesses financeiros, aos grupos particulares e à especulação imobiliária. Esperam resposta.

terça-feira, abril 28, 2015

afinal Portugal (à surrelfa) já é outra vez a Grécia

no entender dos 18 paises que se uniram contra a Grécia,  Portugal precisa fazer mais
No dia a seguir ao 24 de abril Cavaco Silva botou discurso a pedir uma "atitude firme de combate à Corrupção" - teria requerido Cavaco junto dos seus amos permissão para se sair com esta calinada infecciosa da estirpe "european corruptum"? - a julgar pela posição da União Europeia ou o Syriza virou neoliberal ou o estado a que chegou o nosso cavaquismo-morten virou anti-europeu.
"Sinto-me confortável com o ódio que me dedicam"
Ou é mais um embuste. Considerando que o governo cavaquista português segue a mesma linha politica que o governo do Syriza, no inconseguimento das negociações com o Eurogrupo, a Grécia tinha proposto e iniciou um combate aberto à Corrupção (1). Mas para a União Europeia isso não é apropriado nem conveniente neste momemto dramático para o povo e a conclusão do contrato financeiro de "ajuda" não é aprovado. Para tal é preciso que o governo eleito se disponha a manter as  medidas que imponham aos Gregos no longo prazo o pagamento da Dívida acrescida de juros que não feita pelo povo, mas sim em beneficio de governos corruptos. É preciso manter o confisco das vidas dos cidadãos para pagar os prejuizos dos ricos, dosbancos, dos especuladores, uma sucessão de passos que Portugal vem dando pela surrelfa:
Governo vai chutando uma Dívida (que não pára de aumentar) para a frente - ou seja, só deste vez, o Estado adia amortização de 4000 Milhões de euros para 2024 e 2030... quando estiverem em exercicio os futuros governos que vão tutelar a vida dos nossos filhos e netos... colocados em estado de endividamento corrupto permanente.
"Verdade Poder: Quem julga que no Eurogrupo se discute a Grécia com argumentos racionais, está enganado. Depois de cinco anos de austeridade imposta pela troika, a Grécia perdeu mais de 25% do PIB..." (Viriato Soromenho Marques)

segunda-feira, abril 27, 2015

coisas que nós vemos nos 25 de Abris

À cabeça da manifestação na avenida seguem pacatamente lado a lado Jerónimo de Sousa e Vasco Lourenço, este último um dos notáveis envolvidos no desmantelamento do poder popular a 25 de novembro que por pouco não ilegalizou o partido do primeiro. PCP que se senta desde então pachorrentamente na assembleia dos donos disto tudo. Mais à frente o mesmo Vasco Lourenço salta fora para dar beijinhos e abraços ao próximo presidente da república Sampaio da Nóvoa - um belo exemplo a recordar Orwell, quem não conhece o passado, não percebe nada do presente e nem por sombras pode adivinhar o futuro - e do futuro já avisou Nóvoa em discurso directo: "os portugueses não podem esperar tempos fáceis nos próximos anos". Fica o aviso (e o Lourenço de Abril).

Para quem não sabe ou não se recorda, ainda antes do golpe-de-estado de Abril de 74 (em 1971) apareceu um Movimento apostado em Reorganizar o Partido do Proletariado, porque já desde então estava claramente à vista que as práticas reformistas do PCP atavam a Revolução à classe dominante. Como diz o povo: "eles ainda andem aí"... enquanto o tal Movimento viu os seus militantes presos pelo Copcon e foi impedido de concorrer às primeiras "eleições livres", só porque usava como simbolo a Foice e Martelo. O segundo golpe: 18 de Março de 1975, o Conselho da Contra-Revolução Ilegaliza e Proíbe MRPP de Concorrer às Eleições Constituintes. 

domingo, abril 26, 2015

sobre a crise dos refugiados no Mediterrâneo ...

... a frase marcante dos porta-voz da Fortaleza Europa foi "temos de impedir a todo o custo que essa gente possa embarcar"
 
uma frase que, se houvesse uma gota de moral nesta cáfila de exploradores dos povos, deveria ter sido: "vamos tentar resolver os danos seculares causados a toda essa gente providenciando a criação de sustentabilidade de emprego nas suas regiões de origem, considerando o reeinvestimento do que foi espoliado com intercâmbios económicos em condições de igualdade, não imperialistas. Ponto.

Como é que estes crâneos eurocêntricos conseguiram parir a ideia de intervir militarmente para resolver um problema desta dimensão? (imagens de 2014)
http://www.youtube.com/watch?v=faLvuuviEe4
Cadáveres de imigrantes dão à costa nas praias do sul de #Itália - Setembro de 2014. Avisamos os leitores que o video contem imagem chocantes.Mais de 28.000 pessoas morreram desde o ano 2000 ao tentar chegar à Europa através do #Mediterrâneo, 1500 só nas últimas 2 semanas.Ao mesmo tempo que se corta nos fundos destinados ao salvamento de vidas, a União Europeia pondera o lançamento de uma missão militar para destruir barcos de traficantes.UNIÃO EUROPEIA ENTREGA A GESTÃO E VIGILÂNCIA DE FRONTEIRAS A LOBBIES DA SEGURANÇA Agência Europeia de Gestão da Cooperação Operacional nas fronteiras dos Estados Membros da União Europeia, mais conhecida como Frontex ficou operacional no dia 1 de Maio de 2005.A agência tem adquirido maior autonomia e expandido a sua capacidade de decisão no que toca às operações de controlo das fronteiras. O orçamento inicial da agência era de seis milhões de euros, mas em 2013 contava já com 90 milhões de euros para financiar as suas actividades.O director executivo da Frontex, Ilkka Laitinen, um antigo guarda de fronteiras Finlandês, é também membro do quadro de consultores da SDA (Security Defense Agenda), um lobby integrado por grandes empresas de Segurança, Pesquisa e Desenvolvimento) como a Eads, Thales ou a espanhola Indra.Simultaneamente, estas empresas fazem parte da Organização Europeia de Segurança (EOS), um lobby que conta com mais de 30 empresas, cuja presidência foi recentemente tomada por Santiago Roura, CEO da Indra.

sábado, abril 25, 2015

e não assim tão repentinamente, num 25 de Abril qualquer, o Governo neoconservador e os autodenominados "socialistas" puseram-se de acordo para Censurar a Imprensa

"Portugal celebra os 40 anos de liberdade de expressão, mas parece que não cumprirá os 41 anos", escreve o El País, a propósito do projecto que obriga a "visto prévio" da cobertura das eleições. E que prevê pesadas sanções pecuniárias para os que não cumpram uma lei ilicita (Diário de Noticias)

SEM VISTO PRÉVIO é um espaço de opinião disponibilizado pelo Notícias Online a todos os lideres partidários que não têm assento parlamentar. O Notícias Online declara-se absolutamente contra as tentativas de manipulação da liberdade editorial e jornalística protagonizada pelos partidos parlamentares e recusa-se a cumprir qualquer exigência de visto prévio para as publicações. SEM VISTO PRÉVIO é um espaço de pluralidade, liberdade de expressão e democracia:

A greve dos pilotos da TAP é uma greve de candidatos a capitalistas numa altura em que os democratas e patriotas procuram unir forças e desenvolver esforços para impedir este verdadeiro crime de lesa-Pátria que é a privatização, os Pilotos da TAP vêm fazer greve para exigir terem uma fatia dessa mesma privatização. A qual é, assim, uma coisa boa desde que possam ter uma parcela dela. Ou seja, os Pilotos estão a servir-se da greve para adquirir uma parte do capital da Companhia, mostrando claramente que esta é, na verdade, uma greve de candidatos a capitalistas para a aquisição de posições capitalistas (António Garcia Pereira)

sexta-feira, abril 24, 2015

Fascismo e Comunismo? era preciso sermos vigilantes

"Estalinismo" é um conceito politico-económico datado de uma determinada época, não é uma prática escolhida e importada avulso para a nossa época (em que as relações de produção económico-sociais são diferentes) por individuos a titulo pessoal consoante os seus estados de alma. "Estalinismo" não é uma definição apicável em modo contemporâneo, a menos que se seja seguidor ideológico de mentirosos ultra-reaccionários. (a ler: Os arquivos mostram as mentiras da propaganda sobre a história da União Soviética. De Hitler e Hearst a Conquest e Solzjenitsyn)

o pavilhão da União Soviética na Expo Mundial de 1937 realizada em New York (EUA) 
contava com duas estátuas gigantescas esculpidas em granito, o material de que é feita
a herança socialista dos dois grandes lideres Lenine e Estaline

Vladimir Putin designa o regime de Estaline como uma coisa feia. Mas ressalva que o regime de Estaline não pode ser comparado com o regime de Hitler. Porém, o povo da Rússia discorda do primeiro pressuposto de Putin. Os russos recordam o regime de Estaline como o regime que salvou a civilização humana da catástrofe Nazi e trabalhou na construção de uma nova sociedade mais justa. Ao inquérito feito sobre esta questão os russos responderam assim: 1. Concordam com Putin: 5,6% - 2. o regime de Estaline salvou a civilização humana e ajudou a construir uma nova sociedade mais justa: 93,5% e 3. não sabe/não responde: 0,9%. Aconselha-se portanto Putin a parar de mentir baseado nos contos infantis do Soljenitsine que leu na adolescência.
O espirito do Tempo
JV. Estaline: "Sou apenas um discipulo de Lenine 
e o meu objectivo é ser bem sucedido como seu discipulo"

"Temos de pôr fim à complacência oportunista que surge a partir da suposição equivocada de que à medida que crescem as nossas forças, os nossos inimigos se tornam cada vez mais dóceis e inofensivos. Tal suposição é fundamentalmente errada. É um eco de um desvio de direita, que garante a toda a gente que os inimigos aceitam calmamente a influência do socialismo, que por fim se tornariam socialistas reais. Os bolcheviques não devem descansar sobre os louros e ficar de cabeça vazia. Não precisamos de complacência, mas de vigilância, o verdadeiro bolchevique tem uma vigilância revolucionária.

Devemos lembrar-nos que quanto mais desesperada a posição dos inimigos se torna, mais facilmente eles vão agarrar-se a medidas extremas, as últimas medidas do condenado na sua luta contra o poder soviético. É preciso lembrar isso e ser vigilante".

JV Estaline "Os defeitos no trabalho do partido e medidas para liquidar os trotskistas e outros concessionários da nossa casa: Relatório ao Plenário do Comité Central do RKP, Março de 1937"

"O fascismo - é uma ditadura terrorista aberta dos elementos mais mais reacionários, mais chauvinistas e imperialistas do capital financeiro. Fascismo -. é o poder do capital financeiro,  é a organização de represálias terroristas contra a classe trabalhadora, da parte revolucionária do. campesinato e da intelectualidade. O fascismo na política externa -. é o chauvinismo na sua forma mais crua, cultiva o ódio xenófobo contra outras nações ".
Georgi Dimitrov - líder búlgaro do movimento Internacional Comunista.

Para que serve um "Dia Mundial do Livro"?

ler para entreter?, ler para esquecer?, ler para aprender - se houvesse um único livro acessivel, dentro do campo do socialismo, escolheria as "Obras Completas de Mao Tsé-Tung", um trabalho teórico revolucionário que nos legou a autocrítica como guia filosófico para a vida: "Temos de aprender alguma coisa, estudar o marxismo-leninismo. Aprovo inteiramente as sugestões dos nossos camaradas referentes às nossas tarefas no dominio do estudo. Todos, sem excepção, devemos estudar. Que faremos se o tempo não chegar para tal? Teremos de o arranjar. O problema reside em cultivar o hábito do estudo; quando o conseguirmos, poderemos continuar a estudar. Digo isto fundamentalmente no interesse dos camaradas que cometeram erros, mas as minhas palavras também se destinam aos outros e até a mim próprio. Há muitas coisas que nunca estudei. Sou uma pessoa com muitas insuficiências; de modo algum me posso considerar perfeito. Há mesmo ocasiões frequentes em que me detesto. Não domino todos os vários aspectos do marxismo. Por outro lado, conheço mal os idiomas estrangeiros. Só recentemente principiei a estudar economia. Todavia, camaradas, estudo com determinação e continuarei a estudar atè à morte. Em suma, estudarei todos os dias enquanto viver. Criemos um ambiente geral de estudo". Ler é saber. (Discurso, Setembro de 1959)

quinta-feira, abril 23, 2015

Foram desencantar mais um ao sitio do costume

Á semelhança de Vitor Gaspar que ninguém fora do meio da "economia" neoliberal conhecia de lado nenhum e veio cumprir uma tarefa bem definida no governo psd/cds, o partido dito socialista apresentou aos contribuintes, mais que um programa, a nova cara eleita para ocupar o Ministério das Finanças, Fisco e Negócios Correlativos. Mário Centeno é alto quadro do banco de portugal formado na universidade norte-americana de Harvard. Eis a precisão e o rigor das contas que o dito Partido Socialista quer que se saiba para medir o impacto das suas propostas na dívida pública; números para o programa eleitoral do Partido dito Socialista: aah, humm, bem, é como o outro, é só fazer as contas:


publicado na Terça-feira, 21 de Abril de 2015


O programa do P"S" facilita os despedimentos, abraça a outrora criticada TSU e dá um tiro de canhão na sustentabilidade da Segurança Social. Já sabíamos que a social-democracia europeia era uma corrente política em coma profundo – ou que já morreu e ninguém nos avisou. Portanto, o problema deste "socialismo" de conto para crianças não é a gaveta, é o caixão 
Um trabalhador do setor público que tivesse 30 anos em 2010, chegará aos 40 a receber o mesmo salário nominal, e menos 15% do seu salário real. Um trabalhador pagará, daqui a 10 anos, mais 3/4 dos impostos que em 2010, mesmo com a devolução da sobretaxas. O IRC para as grandes empresas, em 2019, será de 18%, quando em 2010 era de 25%. 10 anos depois pagarão menos impostos (a ouvir, Mariana Mortágua)

quarta-feira, abril 22, 2015

propostas económicas apresentadas pelo PS são irrealistas - António Costa tenta fazer a quadratura do círculo quando diz que consegue ao mesmo tempo evitar a austeridade em Portugal e aceitá-la na Europa.

"Num país onde se despediram 300 mil trabalhadores nos últimos anos, o PS acha que o problema do mercado de trabalho é a dificuldade em despedir. Isto é uma impostura.. "Também não se compreende como é que o PS envia para o Tribunal Constitucional os cortes de salários feitos pelo actual Governo e agora apresenta uma proposta em que admite que não devolve os salários até 2017"

A maior parte dos contratos a prazo que existem já são ilegais e abusivos", afirma Mariana Mortágua em conferência de imprensa, prevendo que a diferença da medida proposta do PS, a aplicar-se, será que "os contratos abusivos vão continuar e vai ser ainda mais fácil despedir". As linhas gerais do programa económico que o Partido Socialista apresentou na terça-feira "assentam numa base irrealista (...) esse programa é irrealista no actual contexto da União Europeia e do seu cenário macroeconómico, é uma ilusão quanto à redistribuição de rendimentos que a TSU implica, é irresponsável em termos de política económica porque não trava as privatizações de sectores estratégicos e é uma impostura no que diz respeito à sua visão sobre o mercado de trabalho (...) o PS está em negação quanto à realidade da União Europeia: O cenário apresentado como o mais pessimista e que o PS diz querer evitar é o que estamos a viver hoje e tem um nome: chama-se Tratado Orçamental", afirmou Mariana Mortágua. "António Costa parece querer fazer aqui a quadratura do círculo, que é dizer que consegue evitar em Portugal a austeridade e aceitar a austeridade a nível europeu" (Esquerda.net)

Outra análise do programa ontem apresentado pelo PS: "Corte nas pensões de 8%, corte nas remunerações dos trabalhadores em 7%, aumento da idade da reforma, menos receitas para a segurança social, descida da contribuição patronal em TSU, Investimento público? Nada. Porque “na actual conjuntura os meios de que se pode dispor são extremamente limitados”e depois o milagre: trezentos mil novos empregos e um crescimento como Portugal não conhece há mais de vinte anos. Tudo isto abdicando do Estado como estratego e confiando no Mercado" (a ler atentamente, Francisco Louçã)

terça-feira, abril 21, 2015

Caos nas Urgências hospitalares em nome do Negócio

Cresce a "franja de doentes não diagnosticados". Três milhões de utentes não foram a qualquer centro de saúde no último ano. "Depois da razia feita sobre o Serviço Nacional de Saúde" é bom que os nossos governantes vejam a reportagem da Ana Leal, que foi exibida por um canal de televisão (e viram). À partida estais-vos na tintas: são hospitais públicos, os privados florescem, é coisa para pobres. Mas há um detalhe, ó filhosdaputa. São serviços de urgência.  

"Haja mais doentes! O descalabro na saúde pública, que se acentua de dia para dia, não levanta apenas a questão dos cortes orçamentais em resultado da politica de austeridade (por vezes grotesca). Levanta de forma gritante a necessidade de nacionalização de todos os cuidados de saúde, como uma exigência social que não pode estar sujeita a interesses privados. É isso que mostram as mortes nas Urgências por falta de assistência, as mortes por falta de medicamentos (como no caso da hepatiteC (2), o excesso de óbitos no inverno devido ao frio, a inoperância dos serviços por falta de médicos e enfermeiros, o encerramento dos serviços de proximidade, etc. Tudo isto vai a par de um crescente investimento privado no sector da Saúde, precisamente porque os capitalistas sabem que não lhes faltarão clientes – tanto por diminuir a eficácia dos serviços públicos, como pelo facto de a crise social se encarregar de produzir cada vez mais doentes, que são a matéria do negócio(jornal Mudar de Vida)

“Da vida coube-lhes este quinhão amargo: o cansaço, a fome e por fim a humilhação” (Raul Brandão, in “Os Pobres”, 1906)

(1) É conhecido, as grandes Multinacionais Farmacêuticas, lideres do "Mercado" e poder negocial, conseguem pôr o dinheiro do erário público a financiar a sua expansão como empresas privadas. (em Espanha estas cresceram 52 por cento nos últimos 10 anos). Em Portugal não será muito diferente.
(2)  O recente escândalo de pessoas com hepatiteC a morrer por limitações orçamentais impostas pelo Ministério da Doença, só acabou quando um activista conseguiu uma notável acção mediática que encostou o ministro às portas da morgue politica e o obrigou a negociar com a multinacional do famoso bushista Ronald Rumsfeld, o tal que pôs uma medalha ao peito do Paulo Portas. É isto:

(3) "Os hospitais devem hoje cerca de 700 milhões de euros à indústria farmacêutica e cerca de 600 milhões às empresas privadas que vendem dispositivos médicos, tornando a gestão do quotidiano uma permanente operação de relações públicas com os credores" (Correia de Campos, ex-ministro da Saúde do PS)

segunda-feira, abril 20, 2015

a exploração e saque do chamado terceiro-mundo pelas potências capitalistas "avançadas" é secular...

... mas o negócio na actual fase de decadência do capitalismo é destruir para lucrar com a reconstrução; Uma década de "democracia" levada ao Iraque, depois à Libia e agora as tentativas de repetir o modus operandi na Siria e na Ucrânia faz parte de uma estratégia de maior alcance, que é ganhar hegemonia em postos avançados para que deste modo não faltem objectivos a aumentar a lista das regiões a destruir. Entre nós esta politica criminosa imperialista, tem contado com o apoio tácito de lacaios como Pacheco Pereira, Ana Gomes (3), Rui Tavares e tutti quanti da esquerda neoliberal à direita neoconservadora. A actual multidão de refugiados desses paises “não submissos” aos interesses das petrolíferas vêm cheios de boas intençoes, trabalhar para sobreviverem, pena que morram afogados antes de poderem fazer uma vénia a esses biltres
.............

(1) Fontes diversas têm vindo a informar que na semana passada teriam aportado a Itália 11.000, onze mil emigrantes, ou refugiados, provenientes da costa do norte de Àfrica e Médio Oriente através do Mediterrâneo. Ainda que esta semana tenha sido extraordinária, e que a média semanal seja apenas de metade, cinco mil, dá uma média anual de 250.000, um quarto de milhão de emigrantes ou refugiados.
(2) Os refugiados não precisam das nossas lágrimas, precisam que se pare de os fazer refugiados
(3) O "pensamento" de Ana Gomes (PS): "a União Europeia não faz nada. Não actua contra os traficantes de seres humanos, contra esses autênticos terroristas. Nada fez para restabelecer o poder das policias que deviam manter a ordem no regime pós-Kadhafi" (Antena1)

domingo, abril 19, 2015

a imprensa mainstream pretende fazer crer que é coisa pouca, que todos se abotoam com "uns trocos" - e liga Rodrigo Rato a outros casos de corrupção no FMI. Não, não é só isso...

Foi ministro de Economía entre 1996 e 2004 ( melhor de sempre segundo Rajoy), 2ºvice-presidente no governo de Aznar (o das Lages) e como tal recompensado com o cargo de director do FMI entre 2004 e 2007. Posteriormente assumiu o cargo de presidente das instituições financeiras Caja Madrid e Bankia , em cuja gestão está implicado em diversos ilicitos. or exemplo, o DN relativiza a gravidade do caso ligando a noticia a outros três directores do FMI que também tiveram azar, incluindo Christine Lagarde implicada noutros crimes enquanto ministra em França. Repositório que é  todo um modo de vida e pretende safar o Rato de outras ratoeiras.
Grande esperança da direita neoconservadora espanhola, o Partido Popular de José Maria Aznar (2) viu-se agora na contigência de expulsar o seu ex-vice-primeiro ministro Rodrigo Rato, já indiciado por fraude, apropriação indevida, delitos fiscais, "improbidade", branqueamento de capitais e outros crimes financeiros. Rato e outros ex-directores do banco Bankia estão a ser investigados sobre a entrada do Bankia na Bolsa em Julho de 2011 e subsquente gestão que levou o banco à falência, obrigando a Espanha a recorrer... ao FMI (2). Ao todo, a Rodrigo Rato e a outros quatro imputados caberá pagar uma fatia de 133,3 milhões de euros conforme apurado no âmbito das investigações. Além de tudo isto, o Fisco pretende saber de onde provém e como foi legalizado o património de Rato calculado em 26,6 milhões de euros (3). Para principio de conversa com as autoridades, teria utilizado contas em nome de três filhos para ocultar cerca de 2,6 milhões de euros, através de uma sociedade sediada no off-shore de Gibraltar. Mas não só. Tal como no caso BES em Portugal o Rato espanhol tem uma rede empresarial e filiais off-shore que terão de ser quantificadas. Detido na tarde de quinta-feira, três horas depois foi libertado, porém à espera que prossigam as buscas de documentos na sua mansão El Molino.
Na abissal gruta neoliberal global, o Alí Babá espanhol passou por um gestor milagroso, quando existem 705 pessoas com exposição politica em altos cargos politicos e judiciais que estão também sendo investigados por corrupção e delitos graves contra o Erário Público, um número residual em relação aos 40.000 prevaricadores que em 2012 foram perdoados por uma Amnistia Fiscal (3). Mas na lista de nomes de delinquentes ficais que subsistem não estão referenciados nem autarcas nem empresários, pelo que o número de indiciados poderia ser enormíssimo (4). Poderia esta lista caso levada às últimas consequências remover em definitivo o cimento que alicerça o regime espanhol transmitido directamente do Fascismo para uma Monarquia corrupta em 1978?.

notas
(1) Para entender os "passarões" do Partido Popular, o partido da Opus Dei.
(2) a presidente Cristina Kirchner comentou a performance de Rodrigo Rato no FMI: "um dos que nos vieram dizer a nós como teríamos de dirigir a nossa politica económica... está agora preso por lavagem de dinheiro (...) mesmo assim, atreveram-se a falar de corrupção na política argentina"
(3) No mesmo conferência de imprensa em que foi alvo da palhaçada da jovem Josephine Witt, no minuto seguinte, Mario Draghi avisou a Espanha que teria de aprofundar as reformas nas leis laborais, presumivelmente porque o dinheiro para pagar salários não abunda em Espanha
(3) A directora da Agencia Tributária que em 2012 se negou a investigar a corrupção na Amnistía Fiscal foi chefe de gabinete de Rato
(4) Governo de Mariano Rajoy sabia desde Setembro que a Agência Tributária tinha indiciado Rato

sábado, abril 18, 2015

Retoma de Portugal só vai criar sete mil empregos em 2015

Quando Mario Draghi anunciou "a Bazuca", o programa de compras em larga escala de dívida pública hoje parqueada nos bancos comerciais, e que, supostamente, os impede de dar crédito à economia para que esta possa crescer, a noticia foi: "BCE. As empresas estão no centro do dos 21 mil milhões disponiveis. Ganhará direito ao usufruto da "pipa da massa" (na expressão de Barroso) quem prometer crescimento baseado na exportação e emprego.
ler o artigo completo
Do bodo de papel impresso pelo BCE, 500 mil milhões a nivel europeu, Portugal (os bancos portugueses, entenda-se) é brindado com 25 mil milhões de euros. Na sequência da decisão do BCE o alegado "Plano Juncker" propunha um investimento para privados (outra vez os bancos) para reanimar a economia com os tais milhões e milhões de euros. Com esse fundo de investimento para a Europa a Comissão Europeia estimou uma criação de 1,2 milhões de empregos, menos papista que a Organização Internacional do Trabalho que disse seriam 2,1 milhões de postos de trabalho a criar. Baseado no estudo das Perspetivas Económicas Mundiais, ontem divulgado, a lider do Fundo Monetário Internacional Cristine Lagarde anunciou que na parte que nos cabe como "europeus"  a "retoma de Portugal" só vai criar sete mil empregos este ano.

Comprende-se, perante a perplexidade dos alemães do Bundesbank começaram rapidamente as manobras para mudar de azimute: "o que precisamos é de dinheiro nas carteiras dos consumidores", sugeriam influentes lobies. Consumo sim, Trabalho não - mais do mesmo. Comprem o que as multinacionais estrangeiras têm em capacidade de sobreprodução, vegetem comodamente quietinhos e desindustrializados, pesquem na prestação de serviços a turistas ricos - a tramóia do Tratado de Lisboa ofereceu-vos um cluster porreiro, pá.
um complexo gigantesco gerido por protozoários induzidamente improdutivos

sexta-feira, abril 17, 2015

pobres e mal agradecidos, beneficiam da cidadadania da potência mais rica do mundo

 Um relatório da UNICEF revela que os Estados Unidos estão entre as quatro nações do mundo dito "avançadas" com maiores índices de pobreza infantil. Portugal está acima apenas cinco posições nos 29 paises considerados. Os EUA com cerca de 300 milhões de habitantes tem 24,2 milhões de crianças pobres (2,5 milhões sem abrigo), mais 1,7 milhões que em 2008 no inicio da crise. Conforme observa Paul Buchheit da Alternet, no que respeita aos Estados Unidos "estes números são surpreendentes". Enquanto isso, o Partido Republicano pretende reduzir em 5,5 triliões de dólares os gastos em vários programas assistencialistas, incluindo a distribuição de senhas de alimentação nas escolas e à população carenciada das quais beneficiam cerca de 16 milhões de pessoas.(fonte)

quinta-feira, abril 16, 2015

Já fez a sua peixeirada no seu banco central hoje?

a vida é bela, eu até sou gira, e bem ginasticada; sou uma maluca da Fémen, umas gajas "europeias" contratadas com raizes na Ucrânia, que já fizemos uma cena destas ao Putin quando ele invadiu a Ucrânia, apesar de não ter invadido. Foi a Crimeia, que fugida do nazismo invadiu a Rússia. Hoje a performance correu-me lindamente, pus os gajos à rasca e o portuguesito com cara de parvo, hão-se pedir perdão ao povo, quando as galinhas tiverem dentes. Nós temos! e abrimos o bico e demo-lhes uma bela bicada: “End the ECB dick-tatorship” - Acabem com a Ditadura do BCE" seus caralhos - segundo o respeitadíssimo jornal Público "Dick remete para o dito cujo"). Apesar da falta de respeito, amanhã eu com esta carinha laroca estou na primeira página em todos os jornais, vai uma aposta?. Mas ninguém vai saber quem somos.
Acções mediáticas de "protesto" isolados contra o Banco Central Europeu são mais que irrelevantes (ou perseguem mesmo objectivos ocultos). Estranho seria que perante a gravidade da situação ninguém protestasse, mas são uma manobra de contrainformação, tanto mais quando efectuada por uma só pessoa. Porque, para além da panóplia de lacaios a jusante, (como por exemplo este) o BCE não é uma entidade independente - é uma correia de transmissão submetida a poderes superiores a que reportam, cumprindo ordens provenientes do Bank of International Settlements (BIS), um grupo privado de banqueiros que actuam de modo secreto na gestão financeira do mundo global. Uma aproximação à compreensão do que passa é descrita no livro "A Torre de Basileia", de Adam LeBor (Global research)

quarta-feira, abril 15, 2015

recuperar as "conquistas de abril", de acordo com o acordo com o A em letra pequena

mon petit portugal
Abril não volta! e os militantes da linha "da frente" não devem andar a debitar abstracionismos, sob pena de se transformarem "nos de trás". Antes do mais é necessária uma revolução cultural, ter a coragem de actualizar o léxico ideológico. Abandonar a ilusão da bajulação europeia que destinou os portugueses a fazer camas de hotel e servir à mesa os turistas ricos. Numa sociedade como a nossa, dependente e terceirizada o que significa o "Proletariado"? e "Intervenção de Massas"? para concluir ser precisa "uma acção apontada para o futuro, que faça frente ao capitalismo de hoje". Mais uma abstração: que "Futuro" e em relação a que Passado? ao da famigerada aliança Povo-MFA?. "Povo", outra abstração: o povo das conquistas de Abril (como as catadupas de pseudo-comunistas enfiados com empregos na função pública. estão à espera de fazer uma revolução com empregados de escritório e call-centers? como esse "Povo" cuja maioria assistiu paulatinamente à desindustrialização do país confortavelmente instalado atrás de secretárias. Pudera. Corria-lhe o "Capital" assistencialista à improdutividade a curto prazo de olhos postos em recuperá-lo em centuplicado no médio prazo. E o P"C"P a ver.

Melhor seria que se reciclassem e auto-educassem a vista grossa para ver onde está hoje o capital contemporâneo, não o "capital" abstracto, ou o capital financeiro produzido artificialmente - indefinição que leva o autor deste escrito a fingir chegar à conclusão de "ser necessária uma acção politicamente independente que ouse levantar as suas exigências de classe contra os interesses do Capital". o proletariado é uma "classe"? e homogénea? - melhor seria para a sanidade pública dos portugueses que "os da frente" vissem onde está o verdadeiro Capital, o que é assente no Valor-Trabalho (acumulado, planificado e controlado por um Partido Comunista), o capital que está neste momento a produzir uma revolução à escala global. E os do "P"C"P a (não) ver.

terça-feira, abril 14, 2015

onde é que eu tinha a cabeça quando te disse que sim, o próximo Presidente deveria ser um expert em relações internacionais?

no DN de 9 de Abril de 2015 João Taborda da Gama (filho do putativo candidato Jaime Gama a PR) assinou uma coluna de opinião de elogio a Saldanha Sanches denegrindo o reitor "Sampaio da Nóvoa como Presidente".

O artigo, sem declaração de interesses prévia, omite que Cavaco nomeou o articulista Taborda da Gama para seu “senior adviser”, (por mera coincidência filho do ex-ministro dos Negócios Estrangeiros) junto com o seu sócio numa empresa privada de consultoria estratégica. Gama diz estar retirado desde 2011. Mas o nosso team de experts brzezinski&filho cá de casa o pai Gama foi reforçar o grupo de consultoria estratégica Albright Stonebridge.

Percebe-se então das razões de Taborda afirmar que Sanches foi chumbado "de forma vil" por um júri presidido pelo agora candidato a PR Sampaio da Nóvoa. Taborda é um aprendiz de aldrabão da pior espécie, igualzinho ao pai. E o pai Gama seria apoiado pela pior escória direitista e vira-casacas do partido dito socialista, Francisco Assis e Vital Moreira querem Jaime Gama em Belém. Um dos deles, um bonzo que afirma que o perdão da dívida pública grega é “absolutamente impensável" e, na senda politica do mais que duvidoso Cavaco, não ter dúvidas de que a Grécia não vai conseguir vencer o braço-de-ferro com os parceiros europeus

“É o medo que nos governa. Essa é uma das ferramentas de que se valem os poderosos, a outra é a ignorância” (Eduardo Galeano)

Dividir para reinar, omitir para mentir. A proliferação de candidatos consiste em diversificar tanto quanto possivel as opiniões, selectivamente, até restarem apenas dois opositores que se completam; e dessa unidade sairá a escolha do "melhor". Que ao fim e ao cabo acaba por ser o pior. Vejamos: «é preciso acabar com a ‘ilusão’ de que voltará a haver em Portugal e na Europa, nas próximas décadas, níveis de crescimento como os registados no passado" afirmou Sampaio da Nóvoa. Aqui está um agente pouco ambicioso a desfazer o esquema de exploração de Portugal face ao Imperialismo. A média das percentagens de crescimento na Europa é seis vezes inferior à dos Estados Unidos!! e mesmo assim não é previsivel que os agentes económicos europeus "cresçam" e floresçam, capitalisticamente falando, claro. Os conceitos de Sampaio da Nóvoa são todos vagos: qual é o «passado» para comparação com os actuais «níveis de crescimento»?

Eduardo Galeano (1940-2015)


Celebrado autor de "As Veias Abertas da América Latina" onde relata a exploração da América Latina pelos portugueses, espanhóis, holandeses, ingleses, e posteriormente, pelos norte americanos. São 500 anos de exploração económica desde os "descobrimentos" e miséria social sempre em crescendo à medida que os naturais iam sendo expropriados. Eduardo Galeano lega-nos explicações que não se aprendem nas escolas. Se os latino-americanos têm terras tão ricas, porque vivem todos em paises subdesenvolvidos? qual a razão porque as coisas deram certo nos Estados Unidos e aqui não? Os colonos da Nova Inglaterra, núcleo original da civilização norte americana, não actuaram nunca como agentes coloniais da acumulação capitalista européia; desde o princípio, viveram ao serviço do seu próprio desenvolvimento e do desenvolvimento da sua nova terra. Ao contrário, o subdesenvolvimento latino americano é uma consequência do desenvolvimento alheio. Nada que não esteja a mudar.

O medo ameaça, se amas terás sida; se fumas terás cancro, se respiras contaminação; se bebes terás acidentes; se comes, colesterol; se falas terás desemprego, se caminhas terás violência, se pensas terás angústia; se duvidas loucura, se sentes, solidão... Nada que o sangue latino não posssa mudar...

................

segunda-feira, abril 13, 2015

A classe média está a perder ainda mais do que se pensa

Em termos de economia global, que é do que se trata quando falamos de economias nacionais dependentes, são consideradas famílias de "Classe Média" aquelas em que o elemento que ganha mais é um homem de 40 anos que, no caso de ser branco ou asiático, tem o ensino secundário completo e, no caso de ser negro ou hispânico, tem um diploma universitário.

A evolução do rendimento e riqueza deste tipo de famílias nos últimos anos mostra uma realidade bastante clara: Entre 1989 e 2013, o rendimento em termos reais destas famílias consideradas como classe média caíram 16%, com a maior parte da queda a acontecer a partir de 2001. Isto compara com uma queda de 1% para o rendimento mediano de todas as famílias, que é o indicador geralmente mais usado para ver aquilo que aconteceu à classe média. A riqueza das famílias analisadas caiu, entre 1989 e 2013, 27% em termos reais, sendo que desde 2007 (ano de início da crise financeira) caiu 38%. Mais uma vez, a queda da mediana de todas as famílias, segundo as estatisticas, foi muito menor, apenas 4%. Esta análise foi feita para os Estados Unidos. O mesmo tipo de estudo para Portugal, onde um peso significativo das medidas de austeridade tomadas nos últimos anos atingiu a "Classe Média" (uma invenção criada pela desindustrialização do pós-guerra), teria o potencial para mostrar resultados também significativos" (Economia.Info)

Hilary Clinton apresentou a sua candidatura à presidência dos Estados Unidos, pondo à cabeça do seu programa a Economia (que valeu ao marido nos idos de 90 a famosa frase "é a Economia estúpido", fazendo esquecer a outra: "Mudança x Mais do Mesmo"). No site Vox diz-se que a melhor forma de perceber o que vai ser a agenda económica de Hillary é ler o recente relatório sobre crescimento inclusivo que foi publicado pelo Center for Economic Progress"

a história do mundo é a história da luta de classes

domingo, abril 12, 2015

Cimeira das Américas. Cuba, fora da lista de paises terroristas, já não é “uma potencial e extraordinária ameaça para a segurança interna dos EUA”

A presidente da Argentina, Cristina Fernández Kirchner, desvalorizou a iniciativa de Barack Obama de dialogar com a República de Cuba, atribuindo a importância devida à luta do povo cubano pelo socialismo: “Não nos confundamos. Cuba está aquí por direito próprio, não por um favor prestado pelo imperialismo, está aqui porque “lutou durante mais de 60 anos por uma dignidade sem precedentes”

.........

Mas antes de Kirchner pronunciar estas palavras já Obama tinha saido da sessão plenária (1), desrespeitando as regras da Cimeira das Américas que prevê reuniões bilaterais só após o encerramento da plenário. Obama retirou-se para se reunir com o seu subserviente homólogo colombiano Juan Manuel Santos, em que abordaram e tema dos diálogos de paz com as Farc, que decorrem precisamente em Havana. Evidentemente, negócio de armas tem prioridade. Mas o verdadeiro motivo do acto de cobardia politica, desprezo pelos interlocutores latinos, falta de respeito das leis internacionais e convénios entre nações ao sair do recinto, foi não ter que ouvir o discurso do presidente Nicolas Maduro da Venezuela, nação sul-americana que os Estados Unidos de Obama acabam de declarar como “uma potencial e extraordinária ameaça para a segurança interna dos EUA”. Como diria Kirchner, é caso para rir:

........

holocausto silencioso em nome do negócio

Ministro anuncia fim do Fundo de Pagamento de Dividas do SNS
As implicações dos cortes na Saúde começam a aparecer. Prevenir é estar um passo à frente da doença, mas cortes enormes têm sido feitos nos serviços na área de prevenção, considerados supérfluos "porque dão prejuizo" - o SNS só causa prejuizos porque a prestação de serviços estão sub-orçamentados e o maior prejuizo é a perda de vidas por negligência do Estado. Ontem à noite, no decorrer da reunião do Observatório Municipal de Saúde do Barreiro, aberta à população, o médico Jorge Espirito Santo afirmou que – “o número de pessoas que morreram, nestes primeiros meses de 2015, são mais 6.000 que os números do ano passado, no mesmo período”. O prestigiado médico de oncologia, alertou para o facto de a “legislação que tem sido produzida” contribuir para “desarticular todas as áreas do Serviço Nacional de Saúde” expressando a sua preocupação sobre a situação que se vive no Serviço Nacional de Saúde considerando ser necessária a mobilização dos cidadãos. (fonte)

sexta-feira, abril 10, 2015

Este Presidente e os seus Governos são os maiores agentes de Corrupção na história da República

a última: Rogério Gomes, antigo patrão de Passos Coelho na Urbe, em 2003 e 2004, e militante do PSD - a quem o líder social-democrata entregou a elaboração do programa eleitoral do partido para as próximas eleições legislativas -, é também presidente do Instituto do Território (IT), que ele próprio criou. Este instituto já adjudicou contratos por ajustes directos com dinheiros públicos a instituições a que Rogério Gomes esteve ou está ligado no valor de quase 242 mil euros.
 Telefonemas e mensagens escritas trocadas entre altos quadros indiciam que António Figueiredo e Maria Antónia Anes chegaram mesmo a violar as regras do concurso em que o primeiro era candidato a presidente da IRN e de outro em que colegas seus concorriam ao cargo de vice-presidente daquele instituto. Para conseguirem ajudar terceiros de quem eram próximos, há até casos em que foram pedidos favores a Miguel Macedo, então ministro da Administração Interna. (ler mais)

quinta-feira, abril 09, 2015

Vladimir Putin ofereceu a Tsipras a distribuição de gás russo à União Europeia

Todas as luminárias comentadoras da "Europa" se têm desdobrado em "análises" de teor punitivo em relação à Rússia e à Grécia, como se a "União Europeia" fosse qualquer coisa determinada por seres acima dos interesses dos homens. (1) Mas, se não notaram, há uma revolução em termos de economia geoestratégica que irá alterar substancialmente a vida dos cidadãos europeus. Bruxelas diz que todos os países europeus têm de sofrer por igual os efeitos das sanções russas e que nenhum país pode ter vantagens sobre os outros. A resposta de Tsipras não demorou: "a Grécia é um país soberano e pode, por isso, estabelecer as relações económicas e políticas com quem entender" (2).
"Um dos pontos mais importantes das conversações entre os dois líderes foi o gás. Putin anunciou que ofereceu à Grécia a possibilidade de se conectar ao novo gasoduto russo-turco e transformar-se, assim, num dos principais distribuidores de gás russo na União Europeia. Outra farpa para Bruxelas, que anda há anos a tentar o tudo por tudo para não haver alternativas ao gasoduto que atravessa a Ucrânia e que dá a Kiev o privilégio de ser o fornecedor de gás russo à Europa. Moscovo tentou contornar a situação com um gasoduto que atravessaria a Bulgária, mas Bruxelas pressionou tanto os governos de Sófia que Moscovo desistiu do projecto. Voltou-se então para a Turquia e, no final do ano passado, fez um acordo histórico com Erdogan. O novo gasoduto vem pelo mar Negro até território turco e daí sairá para a Europa. O acordo é por 30 anos e Ancara pode ter o gás natural de que precisa com um desconto considerável. O que Putin oferece agora à Grécia é não só a possibilidade de ter gás mais barato, como de tornar um país essencial para a União Europeia em matéria de energia. É evidente que Bruxelas só pode reagir mal a este acordo, não só porque ele coloca a Ucrânia fora do circuito, como permite a Atenas receber gás em melhores condições do que os restantes clientes europeus do gás russo (...) O nervoso aumentou e de que maneira em Bruxelas e em Washington. Os porta-vozes da Comissão Europeia fartaram-se de enviar recados para a capital russa sobre a Ucrânia, as sanções impostas à Rússia e as contra-sanções impostas pela Rússia à União Europeia em matéria de importação de produtos agrícolas e, sobretudo, em matéria de energia"

Algo que os nossos "meios de informação" comprados pela politica do directório da UE também não focam é a Russia considerar "entregar antecipadamente à Grécia fundos financeiros baseados nos lucros futuros que Atenas ganhará por servir de plataforma de abastecimento de gás à Europa". (fonte: Turkish Stream will make Greece Europe’s energy hub- Putin)

(1) FMI lucrou 2,5 mil milhões de euros com os empréstimos à Grécia desde 2010
(2)Mas, pelas contas da ONG britânica Jubilee Debt Campaign divulgadas esta quarta-feira, se a Grécia pagar todos os empréstimos e juros dos empréstimos da Troika ao FMI, a instituição vai lucrar mais 4300 milhões nos próximos nove anos.

Jorge Bateira: "A recuperação da soberania sobre a moeda é uma libertação. Temos de perder o medo que nos tolhe e ter a ousadia dos islandeses. Quase tudo o que nos dizem sobre desgraças com a saída do euro é falso. Há inúmeros economistas de alto nível que têm estes assuntos estudados, sendo um deles Jacques Sapir (...) "Os gregos podem simplesmente extinguir o Banco da Grécia ao fim da tarde de uma sexta-feira e criar um novo banco central pronto a trabalhar na segunda-feira de manhã. Não há qualquer tribunal europeu que possa exigir um pagamento a um Banco da Grécia que já não existe. Esta é a melhor forma de protegerem o povo grego, mas não vai ser bonito para o BCE", disse um ex-quadro do BCE ao jornalista do Telegraph sobre os compromissos da Grécia para o pagamento da dívida criada a partir dos investidores estrangeiros.

quarta-feira, abril 08, 2015

O 1º ministro Tsipras encontra-se hoje com Vladimir Putin em Moscovo...

... no exacto momento em que a UE, BCE e FMI se reúnem em nova cimeira sobre a Grécia, que amanhã vai ter de pagar uma parcela do empréstimo de 450 milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional.


As declarações do Ministro das Finanças sobre este último ponto da Grécia, são inequívocas: a Grécia diz que vai honrar sua dívida. Mas a 14 de Abril, a Grécia deve emitir 1,4 biliões de euros em títulos do Tesouro, para renovar a dívida a curto prazo (o chamado de roll-over da dívida) e o governo tem de pagar 1,7 bilhão em salários e pensões. Boicotando a Grécia de Tsipras, o Banco Central Europeu tem «recomendado» aos bancos privados gregos não aceitar novos títulos do Tesouro de curto prazo emitidos pelo Estado grego.

Os temas oficiais da entrevista em Moscovo, são os de comércio e energia, incluindo a possibilidade de que a Grécia vir a tornar-se o hub europeu do novo gasoduto que substituirá o South Stream bloqueado pela Bulgária sob pressão dos EUA, que levará através da Turquia gás russo para entrar na EU perto da fronteira grega. Tsipras irá também discutir uma possível flexibilização das contra-sanções russas de modo a permitir a importação de produtos agrícolas gregos. De acordo com a Tass (31 de Março), Tsipras informou o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, e o representante da política externa da UE, Federica Mogherini, que "nós não concordamos com as sanções contra a Rússia". E na primeira Cimeira UE em que participou em 19/20 de Março declarou oficialmente que "a nova arquitectura de segurança europeia deve incluir a Rússia". Confirmando esta posição, Tsipras voltará a Moscovo a 9 de Maio para estar presente no 70º aniversário da vitória sobre a Alemanha Nazi, uma celebração boicotada pela maioria dos líderes ocidentais (de Obama a Merkel e Cameron). Alí estará também o presidente chinês Xi-Jinping, com uma representação das forças armadas chinesas, que marcharão na Praça Vermelha ao lado dos russos para simbolizar a aliança cada vez mais estreita entre os dois países. O presidente Putin, por sua vez, estará em Setembro, em Pequim para celebrar o 70º aniversário da vitória da China sobre o Japão militarista. Próxima da Rússia, a Grécia de Tsipras tem feito diligências em conjunto com a China para integrar a nova área económica euro-asiática, que emerge com base no Banco de Investimentos em Infraestruturas na Ásia criado a partir de Pequim, que se uniu com a Rússia a cerca de 40 outros países – e também aos mais importantes dos BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China, África do Sul) - visando suplantar o Banco Mundial e o FMI que são dominados pelos EUA e grandes potências ocidentais. Por aqui, a Grécia poderá receber os meios financeiros para escapar ao sufocante aperto da UE, BCE e FMI. Em troca, a China quer o Porto do Pireu para aí funcionar um importante hub da sua rede comercial.

Segundo o "The Independent" (3 de Abril), "o governo grego está pronto para nacionalizar os bancos do país e criar uma nova moeda", que está pronto para deixar o euro e, se forçado, até mesmo pela UE.

Aqui entra em jogo um outro factor: a adesão da Grécia, não só à União Europeia, mas também à NATO. "Uma Rússia amiga da Grécia poderia paralisar a capacidade da NATO para reagir a uma eventual agressão russa", adverte Zbigniew Brzezinski (AFP, 25 de Março). São palavras ameaçadoras a ser tidas em conta, na medida em que Brzezinski, autor na década de 90 da estratégia de expansão dos EUA para a Ásia (The GRand Chessboard), tem sido por décadas um consultor estratégico da Casa Branca, mantendo-se em contacto próximo com a administração Obama. Embora o ministro da Defesa Kammenos garanta que "o novo governo grego mantém os seus compromissos com a NATO, apesar das suas relações políticas com a Rússia", Washington e Bruxelas têm definitivamente em preparação um plano para evitar que a Grécia se torne um "elo mais fraco" no novo enfrentamento com a Rússia e, de facto também com a China. O golpe de Estado de 1967, que trouxe ao poder na Grécia os a ditadura dos Coronéis, foi implementado de acordo com o plano, "Prometheus" da NATO. Os tempos mudaram, mas não os interesses políticos e estratégicos que sustentam a NATO, pelo contrário, esta tem-se refinado e tornado mais experiente nos métodos de desestabilização interna dos países-alvo da organização mais terrorista do mundo.

terça-feira, abril 07, 2015

Desemprego. Segundo as manigâncias do governo, há menos desempregados “oficiais” do que gente à procura de emprego.

os números do desemprego (730 mil) que constam dos cálculos da deputada Isabel Moreira do Partido dito Socialista estão errados, até o próprio FMI diz que há meio milhão de desempregados ocultados das estatisticas, o que dará 22% e não os 14,3% do governo. Mas feitas as contas, sem ser as do FMI, o desemprego real é de 29% - o PS vai continuar a divulgar os dados que constam das estatisticas oficiais (e não os reais) e dar uma ajuda ao PSD dentro do espirito do Bloco Central? ... por experiência adquirida, a resposta parece óbvia. (ver aqui)
"A diminuição do desemprego e a criação de emprego são dois dados oficialmente referidos como sinais da retoma da economia, do fim da crise e do sucesso do programa de ajustamento. Na realidade, o mercado de trabalho português encontra-se numa situação depressiva sem precedentes e sem perspectivas de recuperar a prazo"; e, apesar da evidência, dizem esta coisa espantosa: há menos desempregados “oficiais” do que gente desesperada à procura de emprego.

Já em 2012 tais números não eram realistas, porque não contemplavam os designados inactivos disponíveis e os inactivos desencorajados que, se fossem considerados nessa estatística, fariam com que essa taxa ultrapassasse os 23% e que o número de desempregados se cifrasse nos cerca de 1,3 milhões. Segundo o último relatório do Observatório sobre Crises e Alternativas, estima-se que o desemprego real se situava  em finais de 2014 nos 29% da população activa revelando, uma vez mais, uma situação muito mais grave do que a estimada pelo Instituto de Estatística Nacional (INE) já que, ao contrário dos números oficiais libertados pelo INE, o Observatório contempla os ocupados, os migrantes e os subempregados.
 

um mistério a desvendar: porque é que o suplemento "Dinheiro Vivo" na edição virtual aponta uma taxa de desemprego de 15,5% e na edição em papel aponta essa mesma taxa para o número referido pelo FMI de 22%? (ver aqui)