Pesquisar neste blogue

domingo, maio 05, 2013

... para Portugal permanecer no Euro?

apesar da espiral de recessão em que o país se encontra...

clique na imagem para ampliar
"Passos Coelho defendió que sus medidas de austeridad, para ahorrar 4800 millones de euros en tres años con reducción de pensiones y de 30.000 funcionarios, jornada laboral más larga en la administración y un año más en la edad de jubilación, hasta los 66, son necesarias para que Portugal pueda permanecer en la Zona Euro" (Forte contestação a novas medidas de austeridade em Portugal, segundo o el-Mundo)

Uma crítica de direita à extrema direita instalada no poder: "Este modelo europeu foi feito para acabar com o Estado Social europeu (...) o Presidente da Comissão Europeia é, na parte económica um desastre (...) é impossivel aguentar este desemprego, esta emigração. Não aguentamos até 2018 (...) e não há saídas fáceis" (João Ferreira do Amaral, ao Expresso)

"A crise de liderança europeia e a degradação da economia tornam mais provável a desagregação do euro, e é preciso prepararmo-nos para isso" (Francisco Louçã)

Primeiro promoveram este designio, agora queixam-se dele: "Um país num estado de penúria como o nosso não pode ter uma moeda forte. Isso ensina-se na primeira aula de economia. Não é sustentável" (Bagão Félix)... "é a derrota definitiva de toda uma geração" (Daniel Bessa)

"O que fazer quanto à dívida e ao euro?" (Manifesto lançado por economistas da Esquerda Europeia). "Saída do Euro não é uma garantia de ruptura com o euroliberalismo"
.

3 comentários:

Anónimo disse...

Sair do Euro! Sim, por muito que isso agora venha a custar é uma hipótese de escapatória mais plausível e juridicamente mais fácil para fugir e diminuir o controle dos mafiosos que prepararam toda esta trampa da pseudo união Europeia - uma verdadeira armadilha para os 99% da população mundial.

Sempre fui contra o euro e a UE, mas agora mais do que nunca é urgente tirar partido da armadilha que nos criaram, para lhes estragarmos os seus planos maquiavélicos, sim começar a rebentar com o BCE e os ladrões que tanto querem o federalismo, acabar cpm os merdas que estão em Bruxelas, só o que se poupa com essa máquina de parasitas... Tudo o que é feito contra natura ou à força, tarde ou cedo colapsa, e muito mais fácil será perceber isto quando a população perceber e acordar para os verdadeiros intentos dos garados e traidores da própria Europa, onde temos dois dos maiores traidores e ladrões de todos os tempos portugueses, o nojo do Durão e do Constâncio, só com o ouro que nos venderam e com os seus desgovernos nos respectivos cargos, não teriamos hoje grande parte desta dívida fraudulenta. Para eles a guilhotina era demasiado honrosa, deveriam ser condenados a devolver tudo o que roubaram/permitiram e serem condenados a prisão perpétua com trabalhos forçados para tentarem compensar a sociedade e o mundo do mal que fizeram.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

Concordo, se Começássemos a tratar de sair do euro, como isso estragaria os planos dos ladrões globalistas, eles começariam a diminuir a pressão e a tentar inviabilizar a todo o custo pois para eles é cedo demais... neste momento seria o caos até para eles, o teatro e a desgraça ainda não estão completos. Senão tivéssemos traidores a governarem a Europa seria mais fácil resolver a crise que eles próprios criaram.