Pesquisar neste blogue

segunda-feira, setembro 30, 2013

Falsa oposição "ganha eleições" e ajuda a devorar as vítimas da Dívida

Em teoria, segundo as estatisticas do PIB per capita, cada português em média ganha 15.603 euros por ano. A Noruega, que não aderiu à União Europeia, mantém um Banco Central que emite a sua própria moeda, não tem auto-estradas nem TGV`s, nem "ajudas financeiras" proporciona a cada cidadão norueguês um rendimento de 79.254 euros anuais. Segundo os dados do Global Wealth Report 2013, Portugal é 3º o país mais pobre da zona Euro (apenas à frente da Eslováquia e da Estónia). A dívida pública nacional é de 130% do PIB e Portugal precisa de fazer reembolsos dessa dívida de 15 milhões de euros por ano até 2016. Assim sendo, com a população a abster-se (46,74%) ou a votar como sempre maioritariamente nos 2 partidos que reduziram os portugueses a esta situação, porque é que esta noite há tanta gente a bater palmas e a dizer:
"Ganhámos!!"..?

No embuste continuado de eleições formais para uma democracia económica que simplesmente não existe, o Governo tem batido records de manipulação da opinião pública, carpindo-se de ser quase impossivel o "regresso aos mercados" sendo essa a causa de todos os nossos males. Mas o que nos afecta de facto é a vegetativa existência de uma falsa oposição dita de esquerda que no essencial colabora no embuste. Entre eles esta suave discordância com o Governo: Vem aí o 2º Resgate e a culpa não é do Tribunal Constitucional", um aviso do Congresso das Alternativas
Ai então o "regresso aos mercados" é que seria bom?... e lembre-se o livro "O Capitalismo Total", prefaciado por Alfredo Barroso, onde se afirma que "os mercados" não são outra coisa senão o máximo de 300 milhões de accionistas dos grandes capitais privados que investem globalmente"

Com a máxima consideração pela aguerrida posição de esquerda do Dr. Alfredo Barroso (durante uma década chefe da Casa Civil do presidente Mário Soares) contra a opção neoliberal do Partido dito Socialista ao concordar em tudo com o pagamento integral da dívida (desculpe se há engano) ... convém não ignorar que há mais mundos, para além do Neoliberalismo neoconservador e do Liberalismo de cariz social democrata que quer "renegociar a dívida". Há quem simplesmente tenha opções politicas que negariam pagar uma dívida que é odiosa e nem sequer foi auditada, que ninguém sabe quem a contraiu, em que condições, qual o seu montante conciso e a quem beneficia o negócio do endividamento a juros. E a tudo isto o PS, como a outra face deste governo, diz nada...

curiosidades sobre o estado da Nação:
* Apoiantes de Isaltino Morais festejam junto à prisão da Carregueira. Centenas de carros passaram junto ao estabelecimento prisional a buzinar. Apoiantes gritam "Isaltino, Isaltino!"
* Democracia? o que António Costa não disse foi que 55% dos municipes de Lisboa não votaram
* Abstenção, votos brancos e nulos e os candidatos independentes somaram mais de 51% de todo o universo eleitoral. "Somadas as votações de todos os Partidos Políticos, estes não representam já nem sequer metade dos portugueses"
* Coligação PSD/CDS na área de residência de Passos Coelho, freguesia de Massamá, obteve 15,01% dos votos. Em 2009 o PSD havia obtido 45,32%.

3 comentários:

Anónimo disse...

Mais uma vez, MRPP---> ZERO eleitos!Isto não os deveria pôr a pensar?????????????????

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
xatoo disse...

explica-se por o MRPP ser um partido revolucionário e não um partido eleitorista que busque lugares à mesa do orçamento da classe detentora dos meios de produção. Como diz a sigla MRPP - o "Movimento Reorganizativo do Proletário", só poderia conquistar a maioria do voto popular assente no factor Trabalho, mas, onde estão os trabalhadores e o proletariado em geral num país que foi dramaticamente desindustrializado?