Pesquisar neste blogue

segunda-feira, março 25, 2013

Consumatum est - Cavaco e o Balão de ensaio do Chipre

Está a ser regulamentado o roubo de 4% nos depósitos sobre qualquer dos montantes em dinheiro depositado nos bancos em Chipre. FMI apresenta novas exigências a cada meia hora. Rússia ameaaça punir a Europa. A situação ameaça constituir o maior boomerang dos tempos da globalização financeira



Há uma semana Cavaco Silva deixou um aviso às massas incrédulas: ninguém, excepto os que já estão ricos e inscritos no sistema por provas dadas por vigarice ou corrupção, poderá continuar a enriquecer sem exercer qualquer actividade fora da especulação em Bolsa. Bom!, poder pode, mas o Estado irá lá sacar-lhe 20 a 40 por cento.  Note-se, mesmo que existam juras de tranquilidade bancária essas merecerão o mesmo crédito que as previsões do Gaspar

Quando perguntaram a Cavaco qual é o risco de contami- nação deste esquema de extorsão a outros paises - como há 30 anos quando com a frase "não gostaria de ver os portugueses continuarem a comprar gato por lebre" Cavaco rebentou com a Bolsa em 24 horas - desta vez Cavaco de novo foi igual a si próprio: "os livros ensinam-nos que quando há falta de confiança num sistema bancário, não há nenhum país, ou quase nenhum país, que escape" - Ficou o aviso. Havendo falta de confiança em Chipre, haverá falta de confiança em todo o lado. Se em Chipre as pessoas forem aos bancos a correr para levantar as sua poupanças, o mesmo poderá acontecer aqui...

compro Ouro e dou-te Dinheiro

Andou com azar quem ganhou e não trocou o papel impresso por valores sólidos. Foi pela inundação de dinheiro ficiticio emitido nos últimos 30 anos que o sistema agora se desmorona. Há "dinheiro" a mais que agora tem de ser destruido. Os ganhos são "um fenómeno estritamente monetário", explicou o judeu Greenspan numa conferência para vigaristas neoliberais séniores em 2009. Hoje, quando quatriliões de dinheiro tóxico está a ser limpo e retirado do "mercado" a "oferta" de troca de dinheiro em papel impresso por ouro continua a ser a mesma fraude que prossegue por outros meios...


Como diria o Cavaco bom aluno de Greenspan, o ouro pode ser caracterizado como dinheiro "bom" em oposição ao dinheiro "mau" que seria representado por muitas das divisas fiduciárias de hoje. Ao descrever assim o ouro estamos a referir-nos à Lei de Gresham – quando um governo sobrevaloriza um tipo de moeda e subvaloriza outra, a moeda subalorizada (boa) deixará o país ou desaparecerá da circulação através do entesouramento, ao passo que a moeda sobrevalorizada (má) inundará a circulação. A elevação de preços de metais preciosos e outras commodities são "uma indicação de uma etapa muito preliminar de um esforço de afastamento de divisas em papel", disse Cavaco (ou Greenspam?) ... as moedas de ouro são dinheiro, mas dinheiro em papel preenchido em papel aos milhões de milhões… não é ouro

Leituras de referência relacionadas:
* Ouro é dinheiro? O que dizem os Peritos?; (no Resistir)
* KKE: "Intensificar a campanhar pela ruptura com a UE e as políticas do capital" 
.

1 comentário:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.