Pesquisar neste blogue

quinta-feira, julho 24, 2014

as americanices como ideossincrasia: "o show diário" de Jon Stewart

provocam as desgraças e fazem comédia com elas, porque as desgraças são planeadas para dar lucro. E a televisão, ainda por cima "de laracha crítica", é um portentoso meio de controlo de massas;  para que a populaça não seja acrítica, mas que não enverede por acções radicais para travar o genocidio. Deixem a coisa com o judeu Jon Stewart que ele trata do assunto: "Precisamos falar acerca de Israel":

De cada vez que o entertainer pronuncia a palavra "Israel", a sua equipa de correspondentes salta-lhe em cima. Um deles grita-lhe na cara "és um judeu que odeia judeus!". pegando na deixa, Stewart pensa para dentro (será possivel a existência de Israel sem a doutrina religiosa, racista e expansionista sionista?) e responde: "obviamente, há muitas opiniões fortes sobre esta questão (...) mas quem apenas se limita a mencionar Israel ou a questionar de alguma forma a eficácia ou a humanidade das políticas de Israel não pode ser acusado do mesmo modo como se fosse pró-Hamas", isto é, pró independência do Estado da Palestina.
22 de Julho de 2014
....

1 comentário:

Aldo Luiz Fonseca disse...

Já concluí, e repito aqui para clarear minha posição aos outros comentaristas e leitores, quanto a Palestina, Brasil ou qualquer outro povo - "todas as utopias humanitárias são parte do jogo escravagista milenar" para a dualidade que sustenta o conflito financiado pelos banqueiros donos e senhores das casas grandes desse e quiça de outros mundos. A escravização do "homem" pelo "homem" é milenar. Criam-se, "modernamente" os das casas grandes, ( leia-se quadrilhas de banqueiros e comparsas), problemas para oferecer soluções aos das perenes senzalas mundo afora. Agora querem a depopulação dessas senzalas (excessivas), vide Israhell exterminando os palestinos enquanto não chega nossa vez. Treinam seus exércitos e suas armas promovendo estes genocídios, negócio mais lucrativos até que outras "drogas" e religiões com as quais também negociam lucrativamente...
O resto é alienação das boçalizadas massas, a sempre última a saber, a televisão e os demais "mídias" é garantia de sua perene e azeitada ignorância (milenar esta manobra de sabotagem do saber). A cada vinte anos, acomodam as idéias de bestialidade e "iluminação" das "novas" gerações de escravos. Estamos a caminho da Guantánamo planetária do 4º REICH nazi sionista e ninguém está vendo. Ou não podem ou não querem?

Sinto muito, me perdoe, vos amo, sou grato.