Pesquisar neste blogue

quinta-feira, outubro 23, 2014

na medida em que a República Popular da China ganha ascendência na economia mundial, começa a campanha de diabolização do chinês

a Moura Guedes, Raquel Varela, o Nilton e a deputada Moreira...

a historiadora Raquel Varela diz dos seus amores e desamores por Lisboa: "do que menos gosto é da invasão de turistas, hostels, fast food, lojas de chineses, do iva e da lei das rendas (...) não gosto das mercearias asiáticas em Lisboa, não gosto mesmo, podiam ser asiáticas, do magrebe, brasileiras, há um racismo social gravissimo que está a gentrificar a cidade (...) não é racismo (tout-court), qualquer dia Lisboa tem tudo menos Lisboetas, que são expulsos para os subúrbios" -  Francisco Louçã comenta: "Gentrificar é afastar os pobres dos bairros de uma determinada área, por via do aumento dos preços dos consumos e da habitação ou de outro meio de pressão social, e substitui-los pelos mais afortunados. A pergunta é então pertinente: as lojas dos chineses e as mercearias asiáticas (“podiam ser asiáticas, do magrebe, brasileiras”), estão mesmo a fazer expulsar os pobres e atrair os afortunados, a trocar os muitos e remediados pelos poucos e ricos, impondo este “racismo social gravissimo que está a expulsar os lisboetas de Lisboa”? Ou seja, se assim for, os ricos são uma surpresa, e que surpresa agradável: são mais abertos à diversidade cultural do que as nossas preconceituosas suspeitas jamais poderiam conceber (...) As lojas do chinês para turistas? Onde é que viu isso? E esses turistas ficam, compram as casas dos pobres e expulsam-nos para a periferia… Este romance não corresponde à realidade, pois não? (ler o artigo completo)

Dias depois o nosso mega-merceeiro e um dos três homens mais ricos do país, mecenas das estatisticas, sai-se com mais um manifesto: "detesto investimento chinês porque não traz coisíssima nenhuma" e mais adiante: "Nós andamos permanentemente a mudar, sem saber para onde queremos ir", argumentou, considerando urgente "um acordo político" para 10 ou 15 anos entre os dois partidos do Bloco Central (tal e qual é exigido pela Troika) . (aqui).
Mas, troikistas àparte, em contrapartida, os Holandeses gostam imenso dos investimentos portugueses porque lhes levam muita coisa, mormente dinheiro roubado aos impostos em Portugal... mas, para disfarçar, este empresário de merda lança bocas racistas para induzir o povo consumido pelo consumo a culpar o chinês

"Os povos do mundo não são racistas. A burguesia – a classe dominante – é que instila a ideologia racista nas massas, para lançar os povos uns contra os outros: dividir para reinar" (Luta Popular)

"A imprensa pode causar mais danos que a bomba atómica e deixar cicatrizes no cérebro" (Noam Chomsky)

1 comentário:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.