Pesquisar neste blogue

quarta-feira, agosto 27, 2014

Fabricar dinheiro falso não é historicamente uma novidade

O Papa Giovanni XXII promulgou a bula "Spondent quas non exhibent" (Prometem o que não podem cumprir) na qual ameaçava os falsificadores de metais preciosos com um castigo que consistia na entrega ao Tesouro público de uma quantidade de ouro ou prata verdadeira igual à falsificada. Como é de supor, nenhuma das proibições teve demasiados efeitos práticos. O mesmo Papa Giovanni XXII deixou após a sua morte uma fortuna tão imensa, que durante anos correu o rumor de que ele mesmo havia sido um alquimista apostado em transmutar metais vis cobrindo-os com produtos que lhe conferiam a aparência de ouro e prata que punha a circular como moeda corrente a seu bom proveito.
A entidade emissora de moeda dos Estados Unidos (Reserva Federal) prevê acabar em Outubro próximo o programa de emissão de dólares para "ajudar a economia" (Quantitative Easing). Depois de praticamente concluida a transferência do "papel tóxico" para os bancos europeus, via BCE - provocando a crise que tem vindo a afectar o Euro - o Banco Central Europeu ver-se-á agora confrontado com a necessidade de criar ele próprio um programa de emissão de Euros, falcatrua com que pensa "ajudar a economia!. A bom proveito do sub-imperialismo europeu da Alemanha

6 comentários:

Thor disse...

"A bom proveito do sub-imperialismo europeu da Alemanha"


não há imperialismo europeu nenhum da Alemanha, visto que a própria Alemanha não é soberana e está ocupada ilegitimamente pelo sionismo desde 1945.

é imperialismo sionista e ponto final.
a Merkel não é "alemã". é uma porca cripto-judia e ponto final parágrafo. a mãe dele era judia, logo ela também o é.

essa treta de culpar "os alemães" ou "a Alemanha" pela crise, é uma táctica para desviar atenções e ilibar quer os políticos corruptos e ladrões que temos, quer também o sionismo internacional, que ocupa tanto ou mais a Alemanha do que Portugal.

só energúmenos usam essa retórica do "imperialismo alemão" para desviar atenções, quando o dito "imperialismo alemão" é um fantasma que simplesmente não existe.
e nem nunca existiu, genericamente.

Anti-ZOG disse...

Thor,

Este artigo até está bom, não podemos negar.
Já agora devem saber que todos os presidentes da FED(pelo menos dos últimos 30 anos) são judeus.

A actual também como é obvio.

http://en.wikipedia.org/wiki/Janet_Yellen

"Yellen was born to a Jewish family in Brooklyn, New York"

E o mais grave é que a FED não é do estado é privado. Detido por meia dúzia de banqueiros, todos ou quase todos dessa etnia. Tal como o BCE. E quem controla estes bancos tem mais poder que os governos, estes fantoches dessa banca internacionalista, sejam eles de que orientação politica forem.

Agora isso do "imperalismo alemão" é de facto uma falácia habitual, tal como os repetitivos chavões sobre o racismo, o fascismo,o nazismo, etc que as pessoas desta área politica costumam puxar do bolso por tudo e por nada.

Mesmo a palavra "Burguesia" é aplicada muitas vezes a gente que não é "Burguesia", mas simples empresários que nada tem a ver com as máfias financeiras que mandam nos governos e saqueiam os recursos da nação.

É a retórica habitual no mundo de fantasia politica de alguma esquerda. Temos de dar um desconto. Eles tem razão em algumas coisas, mas depois misturam-lhe coisas que são na prática armas da judiaria internacional para dominar os restantes povos e em especial os povos de etnia europeia/ariana.

xatoo disse...

Thor
eu escrevi: "sub-imperialismo alemão" o que pressupõe a existência de um imperialismo tout-court que se lhe sobrepõe, o que é comandado a partir de Reserva Federal. Quanto ao resto nada a objectar

Zog
a definição para o cenceito de "Burguesia" é o da classe que detêm os meios de produção ie os meios de produzir moeda. Outros individuos a quem não se aplica o conceito, pertencem à classe dos Pequenos-Burgueses, isto é, os que não têm os meios nem a a capacidade de autonomia mas aspiram a ser como a Burguesia. É gente afectada psicologicamente, que normalmente votam nos partidos dos ricos contra os seus próprios interesses. È a gente a quem o Berlusconi, vendo o filme ao contrário, chama de "os cogliones"

Thor disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
xatoo disse...

termos insultuosos não são admitidos

Thor disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.