Pesquisar neste blogue

quinta-feira, março 27, 2014

Europa, do Sonho ao Pesadelo

"Qualquer pessoa que olha para a história da União Europeia e ainda nega que existe uma conspiração envolvida na sua criação é verdadeiramente uma causa perdida" (David Icke)

uma Europa vigiada, livre do sonho Socialista
O ex-dissidente soviético, Anatoliy Golitsyn, disse que o Parlamento Europeu lhe lembra o Soviete Supremo revisionista de Khrushchov, que foi manipulado para parecer 'supremo' quando de facto o controlo estava realmente nas mãos dos burocratas do Politburo. "Quando você olha para o tipo de corrupção na União Europeia, é exactamente o mesmo tipo de corrupção soviética, só que na UE, mais grave ainda, a corrupção funciona de cima para baixo, ao contrário de fluir de baixo para cima como acontecia na decadente URSS depois do XX Congresso.

Bruxelas ontem
"A conspiração que visa a tomada do poder global está a ser imposta através do "tiptoe" totalitário (a táctica do "pé ante pé") e do tacticismo do "Problema-Reacção-Solução - ou seja, secretamente os globalistas criam um problema, desencadeia-se uma reacção do público tal como 'temos que fazer alguma coisa', e depois os mesmo globalistas oferecem as soluções para os problemas que eles mesmo secretamente criaram". O problema criado aos 500 milhões de europeus foi o Tratado de Maastricht. O facto do actual "bando dos quatro" estar por trás desses planos como executivos ao serviço da banca global não é assim surpresa alguma:
• Rompuy tornou-se presidente do Conselho Europeu, com a tarefa específica de supervisionar a integração política e financeira da UE.
• Mario Draghi do BCE é um vice-presidente e ex-director-gerente do Sionista Rothschild Goldman Sachs International, um dos responsáveis pela destruição da economia grega que inaugurou a crise do Euro.
• José Manuel Durão Barroso é o arrogante moço de recados administrando o Projecto Europeu no seu centro (Bruxelas) como o burocrata-chefe da Comissão da UE.
• Jean-Claude Juncker, primeiro-ministro do Luxemburgo, foi um dos principais arquitectos do Tratado de Maastricht (que visou a destruição de soberania dos Estados).
a União Europeia foi criada tendo como centro uma Alemanha ocupada e subjugada militar e economicamente aos interesses imperialistas norte-americanos. 
"A crise da Ucrânia e as aspirações expansionistas da Rússia impõem que "todos os Estados contribuam para a defesa" dos parceiros da NATO", foi o recado que Barack Obama deixou ontem na cimeira União Europeia-Estados Unidos, em Bruxelas. 

O que atendendo ao reforço da parceria China-Federação Russa celebrada no Tratado de Cooperação de Shangai poderá num futuro próximo conduzir os povos europeus a uma catástrofe sem precedentes: o envolvimento numa nova guerra imperialista. Isto é, se os europeus se deixarem embalar pelas ambições dos ricos em detrimento da cada vez mais agravada situação dos pobres.  

1 comentário:

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.