Pesquisar neste blogue

segunda-feira, março 31, 2014

Onde poderia o avião da Malaysia Airlines ter ido parar? (II)

Diego Garcia é uma Base Militar localizada numa ilha coralifera a sul do equador no Oceano Índico. É território herdado do Império Britânico, mas actualmente está sob jurisdição dos Estados Unidos em regime de arrendamento. É uma das instalações militares estrategicamente mais importantes e secretas dos norte-americanos fora dos Estados Unidos. Acessível somente por transporte militar, a base era um interface pouco conhecido de lançamento de operações, até à chegada dos Esquadrões AeroTransportados que participam nas guerras contra o Iraque e Afeganistão e agora o Paquistão - e suspeita-se poder abrigar em regime ultra-secreto prisões da CIA, onde os suspeitos de terrorismo são interrogados e torturados. Será possível que o vôo MH 370 da Malaysia Airlines possa não ter sido detectado pelas tecnologias mais sofisticadas dos Estado Unidos quando se confirma que, depois do desvio da rota voou tão perto de Diego Garcia?
No dia 8 de Março, um carregamento "altamente suspeito" oriundo dos Estados Unidos terá sido transferido para o avião da Malaysia Airlines, onde embarcaram igualmente quatro sócios chineses duma empresa de semi-condutores, provavelmente relacionados com a referida carga. Uma hora depois de descolar o Ministério de Segurança Chinês teria sido informado da suspeita relativa à carga transportada pelo avião. O desaparecimento da aeronave converte o famoso multimilionário Jacob Rothschild no único proprietário dessa importante patente, a qual é registada a nível global quatro dias depois em New York.

Um novo relatório que circula pela internet supostamente divulgado pelo Departamento Central de Inteligência das Forças Armadas da Federação Russa (GRU) a 30 de Março não deixa dúvidas quanto às razões pelas quais o presidente Barack Obama alertou esta semana que o seu maior medo não era a Rússia, mas a explosão de uma bomba nuclear no coração de um qualquer alvo estratégico norte-americano, por exemplo, o Centro de Operações de Bombardeamento da USAF na base de Diego Garcia. O piloto Zaharie Ahamd Shah, teria sido o "elemento da CIA" na operação (cabendo-lhe desempenhar o mesmo papel de idiota útil de Lee Oswald no assassinato de Kennedy). O avião levaria a tal "bomba suja conhecida que jamais foi construída" nas palavras de Obama. O que inicialmente teria levantado as suspeitas do GRU foi a morte em circunstâncias igualmente suspeitas dos dois Navy Seals relacionados com a carga do avião, Mark Daniel Kennedy e Jeffrey Keith Reynolds, ambos contratados da empresa de segurança privada "Trident Group" com séde em Virginia Beach, no Estado da Virginia, o mesmo onde se situa o quartel de treino militar de operações especiais de combate naval e demolições (SEAL). O sistema de controlo remoto usado no desvio do avião, que ocorre no mesmo período em que as telecomunicações electrónicas das vizinhas ilhas Spratly operadas pela "China Mobile" são neutralizadas, é o mesmo sistema utilizado com o desvio dos aparelhos no 11 de Setembro de 2001 nos ataques false-flag em New York. É importante assinalar que o fabricante dos sistema FTS, o israelo-americano Dov Zakheim, pertenceu ao grupo neocon dos "falcões de guerra" de Bush, que muitos acreditam tenha sido um dos mentores dos ataques do 11 de Setembro, cumprindo um programa teórico-operacional intitulado "Reconstruindo as Defesas da América", que fazia notar a necessidade de um "Novo Pearl Harbor", para poderem avançar com os objectivos no terreno.

Seja qual for das duas a motivação para mais este misterioso episódio, 1. os chips do banqueiro Rothschild roubados à China, ou 2. a operação false-flag dos EUA, (a possibilidade de um ataque real a Diego Garcia é remota; quem teria meios logísticos para o levar a cabo?) o modus-operandi provavelmente terá sido este: o aparelho é interceptado quando navegava em piloto automático. Assumido o controlo remoto a partir de terra, este é levado a subir até uma altitude próxima da estratosfera. Passageiros e tripulação ficam inanimados, acabando por morrer por asfixia. O avião é levado a aterrar em Diego Garcia já sem sinais de vida a bordo. Depois da "carga suspeita" ser retirada e tratada, a aeronave é levada novamente a levantar vôo, sendo programada para se despenhar no oceano num local onde os destroços serão algum dia encontrados.

10 comentários:

Anónimo disse...


Excelente artigo.
É tudo muito suspeito.

O artigo só falha numa coisa.
E nisto falha-se vulgarmente em sites de informação alternativa e mais verdadeira.
É nesta passagem:

"e suspeita-se poder abrigar em regime ultra-secreto prisões da CIA, onde os suspeitos de terrorismo são interrogados e torturados."

As "prisões" da CIA espalhadas pelo mundo não são para torturar, ou até podem torturar em determinado momento, mas o objectivo é "TREINAR" os terroristas.

Já pensou de que buraco saíram tantos jhiadistas da Líbia e da Síria? Parece que saíram de um buraco qualquer e em grandes quantidades.


Anónimo disse...

É capaz de ter sido mesmo assim.

xatoo disse...

é capaz, é capaz,
e, esqueci-me de acrescentar, que os serviços secretos dos Russo descobriram a marosca e ameaçaram divulgá-la publicamente. Por isso o Obama veio de imediato para as televisões "alertar para o perigo de lançarem um bomba nuclear suja contra alvos dos EUA. Só que não o conseguiu fazer secretamente e mandaram abortar a operação. Mas mais no resto prosseguiu, houvesse ou não "carga suspeita" a bordo

Anónimo disse...

MENTIRA.
No caso de uma patente partilhada, a morte dos outros autores NÃO DÁ A PATENTE AOS QUE ESTÃO VIVOS.
Qualquer valor ou utilização da patente, continua a necessitar de autorização dos herdeiros de cada um dos autores... até prefazer 50 anos desde a data da patente ter sido registada (99 anos nos USA).
Mas, neste momento, sim. Qualquer empresa que queira usar essa patente só necessita de pedir autorização ao único que está contactável.
Sem conseguir encontrar os destroços, só daqui a 5 anos é que as pessoas serão dadas como mortas e as ações podem ser tomadas pelos herdeiros.

xatoo disse...

estamos a levar em linha de conta com patentes em nome de corporações empresariais, não em nome individual deste ou daquele autor

Anónimo disse...

"esqueci-me de acrescentar, que os serviços secretos dos Russo descobriram a marosca e ameaçaram divulgá-la publicamente"
O que sabe mais sobre isto? Estamos curiosos em saber.

Anónimo disse...

Boa Noite
Antes de tudo convém saber o que é que foi patenteado, um novo semicondutor, um novo radar, uma nova bomba, um novo combustível, um novo BigMac, umas novas fraldas de bébé, etc. etc., é que normalmente o registo de uma patente é uma precaução comercial para evitar que alguém copie e possa fazer uma utilização comercial em proveito próprio.
Ora o que se passa com o improvável produto inventado carente de patente é que mete muita gente ao barulho, técnicos chineses, patrões americanos, oportunistas israelitas e sei lá mais o quê. Se o produto é uma inovação com fins militares de pouco serve a patente se ele é feito por tanta gente diferente. Se ele for realmente bom, aqueles que sabem como se faz vão fazer uso dele mesmo não tendo a patente, chamam-lhe outra coisa, fazem uns pequenos ajuste ...e já está. Se é um produto de grande impacto comercial, é a mesma coisa é só uma questão de tempo.
Acho muito forçada a ideia de um avião telecomandado por espiões assassinos que têm a inovação de fazer subir até à estrato-esfera (coisa que é impossível um avião daqueles fazer ...e até dos outros) e matar os ocupantes por asfixia, o que acho estranho pois sempre ando de avião basta ele subir mais um bocadinho e está-me sempre a cair a mascara de oxigénio na cabeça.
Sim! é verdade, algo de estranho aconteceu ao avião. Tirando a hipótese de ele simplesmente ter caído por acidente, por motivos técnicos ou humanos muitas outras teorias da conspiração se podem aplicar, pode ter sido abatido por casas americanos da base de Diego Garcia (a famosa base dos B52 e dos bombardeamentos no Vietname)em virtude de ter sido desviado por terrorista com o fim de chocar contra alguma coisa importante, pode ter sido desviado e raptado pela Coreia do Norte por qualquer razão que só o Kim poderá explicar, ou até mesmo por extraterrestres lá dos lados da nublosa de Orion que precisavam do semicondutor para colocar nas PlayStations dos miúdos...

xatoo disse...

sim, tudo são suposições, porque se eu soubesse estava metido no meio, não estava aqui a fazer conjecturas (embora plausíveis) num blogue. Posto isto, uma correção: eu não escrevi "fazer subir (o avião) até à estrato-esfera. Disse fazer subir o avião PRÓXIMO de níveis estratosféricos. E o depósito do oxigénio que alimenta as máscaras de emergência para duzentas e tal pessoas também se acaba num espaço de tempo relativamente curto

xatoo disse...

Anónimo da 1:50
é ler o que tem sido divulgado que cita os russos como fonte, p/e esta: "Upon GRU “assests” confirming that this “highly suspicious” cargo was aboard Malaysia Airlines Flight 370 on 8 March, this report notes, Moscow notified China’s Ministry of State Security (MSS) of their concerns and received “assurances” that “all measures” would be taken as to ascertain what was being kept so hidden when this aircraft entered into their airspace. (...)
Prior to entering the People Liberation Army (PLA) protected zones of the South China Sea known as the Spratly Islands, this report continues, Flight 370 “significantly deviated” from its flight course and was tracked by VKO satellites and radar flying into the Indian Ocean region and completing its nearly 3,447 kilometer (2,142 miles) flight to Diego Garcia (...)
US is actually able to conceal the reason(s) for the “disappearance” of Flight 370 as they have already done so after the events of 11 September 2001 when the then Bush regime “disappeared” American Airlines Flight 77 and its 64 passengers and crew after falsely claiming it hit the Pentagon, but which was confirmed by the CNN News Service"
http://www.whatdoesitmean.com/index1753.htm

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.