Pesquisar neste blogue

sexta-feira, março 07, 2014

policias contra policias, nem uns sobem nem os outros descem

quem empurra quem? os policias de guarda à ordem pública contra a criminalidade, amanuenses, de trânsito, guardas prisionais, etc. nada têm a ver com a policia de choque, que é uma força militarizada comandada por oficiais de alta patente (1) das forças armadas, que estão adstrictas à Nato e às brigadas de intervenção às ordens da União Europeia. A cobertura mediática tipo jornalista da RTPI: "com dores nos braços, nas pernas e nos membros..."  ou da jornalista da TVI24: "assistimos a um novo investimento dos manifestantes..." são números de folclore idiota para distrair a malta. Acabou a "manifestação" por mais dinheiro, os empurrões dos "feridos" curam-se com hirudóide, está na hora de cada um voltar para casa. Nada a ver com o povo trabalhador que é explorado à força dos bastões de rotina de uns e dos bastões profissionais de outros



Somando toda a hierarquia das forças militarizadas em Portugal, cada oficial graduado em General deve comandar 10.648 homens em postos subordinados abaixo dele. As Forças Armadas portuguesas têm menos de 64.000 efectivos, logo, deveriam ter mais ou menos 6 Generais... mas pasme-se! têm 123 Generais! - os Generais, por definição, comandam unidades operacionais em caso de guerra contra um inimigo exterior: Brigadas, Divisões, Corpos de Exército e Exércitos. Em Portugal não, comandam forças de repressão policiais contra os perigos de um hipotético inimigo interno. A Alemanha tem um General de 4 estrelas, Portugal tem 4, a juntar à chusma de reformas milionárias de altas patentes. Foi isto que a presidente da Assembleia da República prometeu aos sindicatos da policia que lideraram a manifestação: tenham calma que estamos a estudar um estatuto diferente do funcionalismo público para Policia e GNR. Afinal se com "o país numa crise gravíssima" não há dinheiro para nada, mas há dinheiro para enviar mais uma Brigada de Intervenção para a República Centro Africana (mais uma das muitas missões de controlo de revoltas no estrangeiro), também sobrará certamente uns trocos para calar a boca à policia de giro

1 comentário:

taawaciclos disse...

Os escravos não aprendem...

Precisamos de MENOS ESTADO... Pois com a actual configuração da civilização ESTADO é mera ferramenta de controlo do povo, nas mãos das Famílias!

VOZ